Arquivo da tag: vida

das férias

Voltei de férias, minha gente. E que férias! Começamos com 9 dias em Orlando e seguimos pra Punta Cana, com direito a 5 dias em um resort all-inclusive maravilhoso!

E antes que alguém pergunte, mesmo que mentalmente, o que eu fui fazer em Orlando pela segunda vez nesse ano e pela décima quinta vez na vida, eu respondo: conhecer o Beco Diagonal, é claro!

IMG_0955

panorâmica do Beco Diagonal no parque Universal Studios

Convenci o Felipe de irmos pra Orlando e arrastei ele pra 3 (Magic Kingdom, EPCOT e Hollywood Studios) dos 4 parques da Disney, e dedicamos 3 dias pra curtirmos os dois parques da Universal (Universal Studios e Islands of Adventure). Mas como eu sou Disney Freak, e Disney Freak que se preza não deixa nenhum parque pra trás, fui pro Animal Kingdom com os nossos amigos que viajaram com a gente e também curti pra caramba, mesmo tendo ficado pouquinho por lá!

com os amigos no Animal Kingdom

com os amigos no Animal Kingdom

Curtimos tanto que Punta Cana foi ainda mais providencial do que pensávamos, porque ficamos mega cansados e os 5 dias de all-inclusive, sem nenhuma preocupação no paraíso, foram providenciais!

piscininha delícia em Punta Cana

piscininha delícia em Punta Cana do ladinho do meu amor ❤

Comecei a escrever esse post desde que chegamos, e ainda não consegui terminar! É que tava escrevendo detalhadamente sobre o que fizemos cada dia, mas tá ficando enorme, e, até que eu conseguisse postar tudo, capaz de já tá na hora de voltar pra Orlando xD então eu deixo vocês por enquanto com esse post pequenininho que dá sinal de vida, prometendo contar mais das nossas férias em breve – principalmente sobre o Beco Diagonal!

Anúncios

de um lado pro outro mudando de lado

Nossa, fiquei muito tempo sem passar por aqui, sem contar o que anda acontecendo na minha vida. É que tudo tem sido tão corrido e tão louco ultimamente que, mesmo quando me dá vontade de escrever alguma coisa aqui, nunca dá tempo…

Do final da Copa pra cá, já voltei pra Niterói 3 vezes, o primeiro ciclo de aulas acabou no cursinho aqui em Brasília, e eu finalmente vou ter férias desde que terminei o mestrado \o/

Aqui em Brasília, logo depois que eu voltei de Niterói do dia dos pais, rolou casamento de um casal de amigos e uma ida ao Mané Garrincha pra ver meu Botafogo vencer:

IMG_0419

Também recebemos dois amigos aqui em casa e foi super divertido, e rendeu uma foto pra eternidade, daquelas que merecem porta-retrato e lugar de destaque onde quer que a gente vá morar:

IMG_0518

Meus pais também vieram pra Brasília logo no iniciozinho de setembro, e foi ótimo!

IMG_0713

Em seguida fui pra Niterói e passei 10 dias por lá, me dividindo entre consultas médicas e exames, mas também fui dois dias ao Plaza Fashion Trends, evento de moda que rolou lá no Plaza Shopping exatamente no período em que eu estava em Niterói! Coincidência demais.

#maischapéuporfavor com a Mrs. @capitaozeferino 👒 #hats #plazatrendsniteroi #plazashoppingniteroi #nikitycity

A post shared by Letícia Ortega (@leticiatortega) on

E ainda rolou um Parador Bistrô com essas pessoas queridas:

Daí eu voltei pra Brasília, voltei pro meu aconchego, pro meu amor, e a gente tem dividido os nossos primeiros dias de férias entre idas ao cinema e muito tempo no sofá…

DCIM101GOPRO

infinito particular super bagunçado (x

E eu finalmente comprei um monopod pra usar a minha GoPro, que eu ganhei no meu aniversário de 24 anos e só tinha usado pra 49 fotos até a chegada do monopod milagroso! Agora fico querendo usar toda hora, mas Brasília resolveu não ser muito fotogênica desde que eu voltei de Niterói. Deve ter ficado com ciúmes! Hihihi

E férias que são férias de verdade tem que ter viagem pra curtir e descansar, e outubro veio pra isso, pra gente aproveitar um tempinho longe da correria, longe da “vida de concurseira”, longe das obrigações do trabalho…

A última coisa importante que eu tenho pra falar hoje é talvez a mais importante: estou tendo acompanhamento nutricional há um mês, e estou me empenhando (muito!) pra voltar a ter uma vida e um corpo saudável. Percebi que preciso ter uma alimentação mais saudável e me dedicar mais aos exercícios físicos antes que seja tarde demais. Os exercícios tem sido razoavelmente leves, por conta dessa história do tornozelo ruim, mas até exercícios leves e uma alimentação saudável fazem toda a diferença. Quando voltar das férias, quero escrever mais sobre esse acompanhamento nutricional por aqui mas, por enquanto, deixa eu aproveitar esse mês de outubro pra brincar e ser feliz (:

vamos pular essa parte

“Letícia, você sumiu de novo!” é, eu sei, mas vamos pular essa parte.

ou não.

porque, se eu tô sumida, é porque estou consumida. pelo deslocamento no trânsito, pelas aulas no Clio, pela dissertação sem fim.

hoje é o segundo dia nesta semana que eu falto aula por causa da dissertação, e também porque tô pifando. sabe lâmpada quando quer queimar mas não queima de uma só vez? então.

falando em lâmpadas, comprei lâmpadas novas pra casa ontem, habemus luz!

a sensação de sobrecarga tá grande demais. mesmo! sinusite atacou, pressão baixou, cabeça doeu, corpo reclamou, e eu tô com torcicolo.

eu não sei onde eu tava com a cabeça quando achei que ia ser tranquilo dar conta de acabar a dissertação e o mestrado fazendo cursinho.

vamos pular essa parte.

quero força pra acabar logo de escrever! meu Deus, me dá força! meu Deus, me dá sabedoria pra que eu saiba que acabei! meu Deus, não me deixa ficar inventando novas coisas pra escrever numa dissertação que já tá enorme! aí depois o Senhor me ajuda pra continuar forte e estudando pro concurso!

vou comer uns tomates.

quem é vivo…

É, eu sei, tô meio sumida. Tô devendo ainda o relato das ~peripécias~ do carnaval, mas, depois que a folia acabou, tudo ficou meio atropelado na minha vida.

Foi um tal de fazer dissertação e comprar mais livro e ler mais livro e estudar mais e sentir dor no tornozelo e procurar mais fontes pra dissertação e escrever mais dissertação e mandar email pro orientador e não ser respondida e continuar escrevendo e continuar colocando gelo no tornozelo e ir atrás de angiologista e escrever mais um pouquinho que – ufa! – só agora deu pra sossegar e “lembrar” do ~brógui~.

Então. O carnaval foi – é claro – maravilindo. Duas noites de Sapucaí – uma da Série A e outra do Grupo Especial -, e as melhores companhias do mundo. Não rolou de ir nos desfiles da Segunda Feira, então assistimos pela TV mesmo. Fiquei um tantinho chateada, é claro, mas o meu tornozelo e essa veia safena super inchada agradeceram o “repouso”.

trio na primeira noite de desfiles da Série A xD

trio inseparável na primeira noite de desfiles da Série A xD

a melhor companhia do mundo <3

a melhor companhia do mundo ❤

No meio do carnaval rolou um aniversário entre amigos, e também um almocinho relax no Gula Gula da Lagoa. Na quarta feira de cinzas, o Felipe voltou pra Brasília cedinho, e eu assisti a apuração pela TV e fiquei mandando pelo whatsapp os resultados a cada quesito apurado hehehe (#tradições).

Como já falei, desde o fim do carnaval tô envolvida completamente com a dissertação e também com a safena inchada. Ganhei óculos de grau novos (dois! lindos! musos! maravilhosos! tô apaixonada), e tô comendo pra caramba. Fiquei sem fazer nenhum exercício físico mais de 2 semanas e engordei meio quilo. Faz parte. Ontem tentei correr um pouco, mas o tornozelo dói muito. Corri por 15 minutos, foi o que eu aguentei.

Quero ir ao cinema. A última vez que fui ao cinema foi no dia 09, ou seja, já tô há 10 dias sem fazer o meu ritual favorito. Assisti “Walt nos bastidores de Mary Poppins” ou, como eu prefiro, “Saving Mr. Banks”. Foi lindo, chorei. O Tom Hanks deu um bom Walt Disney. Eu tenho saudade do Walt Disney como se ele fosse uma pessoa da minha família.

Coloquei o PS3 no meu quarto, porque foi comprado aqui pra casa uma tv nova de 55″ pra sala, que veio com um blu-ray. Aí a tv de 42″ foi pro meu quarto, e o PS3 acompanhou a mudança. Minha vida meio que acabou a partir daí porque, quando não tô dissertando no quarto de estudos, tô enfurnada no meu quarto jogando video game ou então vendo filmes.

Se me perguntarem as manchetes dos jornais, vou responder que não sei, sem a menor culpa. #projetofoco tá bombando – e não, eu não tô falando em perda de peso, tô falando da dissertação mesmo.

vamos falar sobre liquidações

No post onde contei um tiquinho sobre as minhas mini férias de janeiro, eu “reclamei” sobre os preços das coisas lá pelas bandas dos EUA. Falei que podia ser impressão minha ou exagerado pela alta do dólar, e contei que não achei os preços tão convidativos quanto de outras vezes.

Pois bem, minha gente, isso não aconteceu só lá na América do Norte não. Nos meus passeios pelas lojas em liquidação, o susto foi constante.

Lembro de uma época em que descontos de 50% nas liquidações correspondiam a grandes descontos – grandes mesmo! A queda nos preços realmente fazia valer a pena montar o guarda-roupa com essas promoções, ou (quase sempre no meu caso) arrematar aquelas peças que faltaram ao longo da coleção.

Andando por aí, vejo várias lojas que anunciam descontos de ATÉ 50%, 60%, ou 70%. Entro nas lojas, com vontade de gastar dinheiro com achadinhos e novidadinhas que incrementem o meu guarda roupa e a minha vida, mas não encontro nada. E não é só porque eu tô achando as coisas meio esquisitas não: os preços não estão nada convidativos.

É, gente. Eu, que sou consumista de carteirinha, não estou conseguindo comprar nadinha nessa época de liquidação porque os preços estão absurdos até pra quem, como eu, ama comprar. Além do absurdo dos preços, as coleções que estão sendo liquidadas agora foram lançadas ainda no inverno, então tenho peças delas dentro do meu armário há, pelo menos, 6 ou 7 meses. Ou seja: eu já estou meio enjoada também da cara dessas roupas, e não acho que valha a pena desembolsar uma grana considerável em peças que já estão outdated.

E isso é outra coisa que fode com a minha cabeça. Cara, lançaram coleções de verão em pleno inverno. E, em pleno verão, as temperaturas lá em cima, e que assim ficarão por algum tempo ainda, as lojas liquidam suas peças da estação e algumas já lançam o seu outono/inverno em previews ou coleções completas mesmo. Isso é muito esquizofrênico!!!

As lojas tem jogado os preços das coleções lá em cima e, quando chega a liquidação, mesmo com descontos de 70%, tudo fica muito caro. E aí a gente fica se sentindo meio roubado, meio frustrado, meio feito de bobo, meio não-sei-o-que, enquanto eles continuam lucrando montes com descontos que não são feitos pra acabar com os estoques das lojas, mas sim pra ver quem ainda aguenta pagar um tanto por uma peça que já passou de 6 a 8 meses nas araras das lojas.

back in black!

O destino das férias foi, é claro, Orlando-FL. Surgiu mais uma oportunidade de ir curtir a cidade e os seus parques temáticos e eu, logicamente, não deixei a oportunidade escapar. Agradeço ao meu orientador, que ainda está na Suécia, pelas mini-férias que ele me proporcionou com esse ~sumiço~.

Hogwarts is my home! <3

Hogwarts is my home! ❤

Orlando estava fria demais nesse janeiro. Foram poucos os dias em que pude tirar os casacos e aproveitar o quentinho do sol. Mas isso não é de todo ruim, já que aqui em Niterói tá um forno, e estava um forno antes da viagem. Brasília também tava quente demais, e parece que continua assim. Sofro muito no calor, então tava bem feliz lá no friozinho.

Achei que tudo estava caro demais. É impressão minha, ou, junto com a subida do dólar, as coisas lá nos EUA também ficaram mais caras?! Sentia preguiça de comprar, e investi em poucas coisas que achava que valiam a pena. Exceto nos parques, é claro, porque eu não tenho discernimento nesse ponto e adoro comprar as mil bugigangas e quinquilharias que eles oferecem.

Me entupi de Butterbeer, mas não o tanto quanto queria. Sofri um bocado porque não pude participar da Harry Potter Celebration, que aconteceu enquanto eu estava lá. There’s no free lunch, e eu estava lá acompanhando um grupo como guia, não podia deixá-los e ir pros parques que eu queria.

eu nunca terei fotos suficientes em frente a esse Castelo lindo

eu nunca terei fotos suficientes em frente a esse Castelo lindo

No todo, foi bem divertido, e curti bastante. Mal posso esperar pra voltar – mas que seja sem grupo, porque já não aguento mais andar no It’s a Small World ou no Peter Pan. Além disso, o Fastpass Plus que a Disney inventou agora dificulta muito a vida de quem leva grupo, porque aumenta – em muito – as nossas responsabilidades. Quero voltar pra lá só com a minha família, e tá ótimo.

Mal cheguei e já fui ao cinema. Assisti FROZEN com a mamãe na quinta feira e fiquei apaixonada! Tô super viciada na trilha sonora e fico cantando Let It Go o dia inteiro. Queria ter assistido na estréia, mas não deu. Pelo menos já pude cortar esse filme da minha lista. Aliás, a lista de filmes pra 2014 já está extensa e eu já estou super atrasada. Ai ai.

pousando no SDU

Eu sempre fico meio bipolar quando chega o dia de pegar o vôo SDU>BSB, e mais bipolar ainda quando tenho que pegar o vôo BSB>SDU. Parece que quando eu tô lá, sinto falta daqui; e, quando tô aqui, um pedaço meu ficou por lá. E, em meio à bipolaridade, a emoção fica em alta, e eu começo a filosofar.

Quando o piloto anunciou “tripulação: preparar para o pouso”, eu parei de ler, tirei os fones de ouvido, e me concentrei na paisagem que começaria a surgir na minha janela.

Avistei o Cristo Redentor, e agradeci por mais uma oportunidade de sair de uma casa (em Brasília) pra chegar em outra (em Niterói). Olhei pra baixo, e lá estava o Maracanã, que será palco de grandiosos espetáculos mundiais nesse ano. Contemplei o Cristo mais um pouco, até que ele e o Pão de Açúcar ocuparam a mesma paisagem dentro da minha janela. Logo depois, avistei a enseada de Botafogo, e o Pão de Açúcar de pertinho, majestoso, lindo – o meu lugar favorito no Rio.

IMG_7095

Dando a volta na Baía de Guanabara, contemplei Niterói. É engraçado ver do alto coisas que fazem parte do meu dia a dia, seja do jeito que for: o Plaza Shopping, o campus da UFF, o Museu de Arte Contemporânea (MAC), a Praia de Icaraí, a minha rua. Logo depois, começa a aparecer, grande, magrinha, enorme, a Ponte Rio-Niterói, que logo depois eu deveria atravessar para, enfim, chegar na minha casa niteroiense.

Outra vez, vi o Cristo; e, outra vez, agradeci por estar ali, por estar viva, por ter saúde (mais ou menos), por ter família, por ter tanta coisa pra amar e pra me fazer feliz nessa vida. Agradeci a Cristo por tantas coisas bonitas, por tantas coisas simples, por tantas coisas maravilhosas que Ele criou. Agradeci a Deus pelas graças derramadas na minha vida.

Agradeci a Deus pela teimosia de sempre querer embarcar e desembarcar no Santos Dumont toda vez que pego um vôo nacional, e agradeci por ser recompensada por uma paisagem linda que se forma na minha janela toda vez que eu volto pra casa, aquecendo o meu coração e me fazendo me sentir mais feliz.

O avião, enfim, pousou.