Arquivo da tag: samba

quem é vivo…

É, eu sei, tô meio sumida. Tô devendo ainda o relato das ~peripécias~ do carnaval, mas, depois que a folia acabou, tudo ficou meio atropelado na minha vida.

Foi um tal de fazer dissertação e comprar mais livro e ler mais livro e estudar mais e sentir dor no tornozelo e procurar mais fontes pra dissertação e escrever mais dissertação e mandar email pro orientador e não ser respondida e continuar escrevendo e continuar colocando gelo no tornozelo e ir atrás de angiologista e escrever mais um pouquinho que – ufa! – só agora deu pra sossegar e “lembrar” do ~brógui~.

Então. O carnaval foi – é claro – maravilindo. Duas noites de Sapucaí – uma da Série A e outra do Grupo Especial -, e as melhores companhias do mundo. Não rolou de ir nos desfiles da Segunda Feira, então assistimos pela TV mesmo. Fiquei um tantinho chateada, é claro, mas o meu tornozelo e essa veia safena super inchada agradeceram o “repouso”.

trio na primeira noite de desfiles da Série A xD

trio inseparável na primeira noite de desfiles da Série A xD

a melhor companhia do mundo <3

a melhor companhia do mundo ❤

No meio do carnaval rolou um aniversário entre amigos, e também um almocinho relax no Gula Gula da Lagoa. Na quarta feira de cinzas, o Felipe voltou pra Brasília cedinho, e eu assisti a apuração pela TV e fiquei mandando pelo whatsapp os resultados a cada quesito apurado hehehe (#tradições).

Como já falei, desde o fim do carnaval tô envolvida completamente com a dissertação e também com a safena inchada. Ganhei óculos de grau novos (dois! lindos! musos! maravilhosos! tô apaixonada), e tô comendo pra caramba. Fiquei sem fazer nenhum exercício físico mais de 2 semanas e engordei meio quilo. Faz parte. Ontem tentei correr um pouco, mas o tornozelo dói muito. Corri por 15 minutos, foi o que eu aguentei.

Quero ir ao cinema. A última vez que fui ao cinema foi no dia 09, ou seja, já tô há 10 dias sem fazer o meu ritual favorito. Assisti “Walt nos bastidores de Mary Poppins” ou, como eu prefiro, “Saving Mr. Banks”. Foi lindo, chorei. O Tom Hanks deu um bom Walt Disney. Eu tenho saudade do Walt Disney como se ele fosse uma pessoa da minha família.

Coloquei o PS3 no meu quarto, porque foi comprado aqui pra casa uma tv nova de 55″ pra sala, que veio com um blu-ray. Aí a tv de 42″ foi pro meu quarto, e o PS3 acompanhou a mudança. Minha vida meio que acabou a partir daí porque, quando não tô dissertando no quarto de estudos, tô enfurnada no meu quarto jogando video game ou então vendo filmes.

Se me perguntarem as manchetes dos jornais, vou responder que não sei, sem a menor culpa. #projetofoco tá bombando – e não, eu não tô falando em perda de peso, tô falando da dissertação mesmo.

batucando samba com rock n roll

Tem sábados que são tranquilos demais, e tem sábados que são corridos demais – e acabam sendo incrivelmente divertidos. E ontem foi um desses sábados.

Há algumas semanas, comprei ingressos pra ir com meu amigão no show do Barão Vermelho, no Citibank Hall. Por diversos motivos, perdemos a chance de vê-los na Fundição Progresso, no Circo Voador, e até mesmo aqui em Niterói, nessa turnê “+1 Dose”. Eu já estava super triste por não ver um show do Barão nessa turnê comemorativa dos 30 anos do lançamento do 1º disco deles, quando foi anunciada “A Última Dose” no Citibank. Na mesma hora comprei o ingresso, é claro.

Estava com tudo planejado pra ir (lá) pra Barra em horário oportuno pra fazer um lanchinho antes do show com calma, e entrar no Citibank Hall com tempo suficiente pra ficar próximo o bastante do palco pra ver a minha banda favorita.

Só que as coisas planejadas demais, às vezes, não dão certo. E aí o meu amigão (beijo, best friend Príncipe Regente do Império das Capas Crivo Gabriel!), que trabalha com Carnaval, ficou sabendo às pressas que precisaria ir na quadra do Império Serrano ontem, lá(ááá) em Madureira (lá lá iá), pra feijoada da escola. Era uma coisa divertida, mas não deixava de ser um compromisso de trabalho. Diante disso, nós tínhamos duas opções: ou abríamos mão do show do Barão Vermelho, ou íamos pro Império Serrano e seguíamos de lá pro show.

É claro que nós escolhemos a segunda opção!

Mas aí todos os meus planos fashionísticos pro show foram por água abaixo. Eu precisava de uma roupa que fosse do samba pro rock n roll suavemente, contando com o apoio do super carro do Gabriel. Ou seja: eu precisava de dois looks em um, pra duas ocasiões razoavelmente diferentes entre si.

E aí toda a solução veio na minha cabeça muito rápido (ainda bem, porque eu precisei ficar pronta em menos de meia hora, já que eu estudei até o último segundo).

"fim de semana eu viro batuqueira, pego meu pandeiro, vou pra Madureira, pro meu glorioso Império Serrano, que vai ganhar e subir esse ano!"

“fim de semana eu viro batuqueira, pego meu pandeiro, vou pra Madureira, pro meu glorioso Império Serrano, que vai ganhar e subir esse ano!”

Sempre que a gente vai pro samba (seja em quadra de escola ou na Sapucaí), o All Star é companheiro certo. Pra mim não há nada mais confortável, e ele ainda confere uma proteção extra pros pés, que só querem sambar. Raramente eu opto por uma sandália rasteira, já que ela não protege tanto o pé contra pisões, eventuais cacos de vidro, etc.  Também gosto de ir de short, mas sempre uso uma meia-calça pra ficar mais segura e me divertir a vontade. A escolha da blusa foi pensada pro ambiente: o povo do samba, que é muito acolhedor (<3), é de muita fé, então não tinha uma opção melhor. No todo, ficou um look simples e bacana pra ocasião, me deixando livre pra aproveitar a tarde de samba.

Império Serrano 01

visão parcial da quadra do Império Serrano

Império Serrano 02

outra visão parcial da quadra, e o fim da feijoada

Quando a feijoada acabou, era hora de sair de Madureira (lá lá iá) rumo à Barra da Tijuca. O trajeto foi marcado pela comprovação de que é possível fazer milagre com um lápis de olho e um batom. A intenção era pegar um batom vermelhão, tipo Ruby Woo ou Russian Red, mas, na pressa, peguei o Lady Danger, também da MAC. No final das contas, achei que ele ficou bem legal!

o make feito no carro!

o make feito no carro! e tá na hora de cortar a franja.

E aí eu deixei o look do samba com uma carinha mais rock n roll com a jaqueta de couro, bota de cano curto com tachinhas, bolsa prateada e meia calça preta. Pois é, eu rasguei a meia-calça que eu tava usando no samba (foi a 3ª que eu rasguei nessa semana), e precisei trocar – daí optei por essa preta!

Poderia ter sido uma escolha óbvia demais, envolvendo couro e tachinhas pra um look de show de rock, mas acho que o vermelho da jaqueta mostrou que eu me esforcei – pelo menos um pouquinho – pra deixar tudo menos óbvio e com mais interessância (amo/sou neologismos).

momentos antes do show

eu tentei deixar meu cabelo com um ar mais bagunçadinho, tanto que prendi numa trança pro samba, mas não rolou o efeito que eu queria (#dramas). 

É claro que o carro foi o grande propiciador das “mudanças” do look, pois foi lá onde deixei guardadinhas a jaqueta, a bota e a bolsa enquanto curtia o samba. Ok, eu poderia ter ido pro show de All Star, porque, né, rola toda uma referência grunge quando se fala nesse tênis icônico, mas eu quis trocar pra deixar uma coisa um pouquinho mais elaborada.

As tachinhas do short também deram mais bossa nova e rock n roll ao look. E a blusa de malha ficou ali, como quem não quer nada, deixando as outras peças darem o verdadeiro tom ao look.

Barão Vermelho 01

O show foi maravilhoso. Eu já tinha visto os Barões em outras oportunidades – tanto na formação de “Barão Vermelho” como em shows solo ou de projetos paralelos, mas, sem dúvida nenhuma, esse foi o mais incrível. O setlist foi impecável, misturando hits à músicas “de disco”, e eu ouvi (e cantei junto!) praticamente todas as minhas canções favoritas desses 30 anos de carreira.

Barão Vermelho 02

Tirei fotos demais, e ficou difícil até de escolher algumas pra ilustrar o post. Com essas duas, todos os (meus) “Barões” estão representados!

Eu tava mesmo precisando de um sábado desses, bem divertido. Adorei ir pra Madureira (lá lá iá), e espero voltar no Império Serrano em breve. Gente acolhedora, quadra enooorme, e samba de primeira qualidade! Confirmei que Madureira é muito mais do que um lugar, é a capital do samba! E a vibe do show do Barão Vermelho foi sensacional, com presença de gente de 8 a 80 anos, e todo mundo dançava e cantava numa boa, curtindo aquela última apresentação no Rio dessa turnê comemorativa.

Valeu, Barão! Tomara que vocês não demorem muito pra fazer uma outra reunião espetacular dessas. A gente fica esperando!

pós-samba-pré-rock

pós-samba-pré-rock

E muito obrigada ao Gabriel, parceiro e amigo querido, que já viajou por tantas aventuras comigo e ainda há tantas por viajar! (#viniciusdemoraesinspired)

  • Blusa: Use Huck
  • Short: Maria Filó
  • Tênis: Converse All Star
  • Jaqueta: Zara
  • Cinto: Farm
  • Bolsa: Belier
  • Bota: 284 para C&A

E esse post ficou enorme O: pudera, pra contar tanta história de um sábado tão bacana!