Arquivo da tag: moda

a dificuldade de encontrar boas roupas

Estou exausta. Há dias – ou melhor, há quase um mês, estou em uma busca incessante por boas roupas, e não encontro. Por conta do acompanhamento nutricional (tô devendo post! Eu sei!), emagreci 8kg e meu corpo mudou muito nos últimos meses, então o que me servia até pouco tempo atrás está dançando no meu corpo e todas a grande maioria das minhas roupas parecem que são emprestadas. Exemplo: uma calça jeans que minha mãe me deu no início de novembro já está IMENSA pra mim. E olha que já tentei fazer ela encolher lavando várias vezes.

Enfim. Por conta disso, eu preciso de roupas novas. É precisar mesmo, porque nada me serve bem. Diminuir roupas não é comigo, tenho horror até de dar bainha, sofria com cada calça jeans que tinha que dar bainha antes de adotar as skinnys pra minha vida (amor eterno!). Não gosto de costureira, não gosto de conserto. Gosto de roupa que sai da loja pronta pra usar. Saias e vestidos longos? Quase nunca uso. Comprei uma no Zimbábue que não dei bainha até hoje. Tá no armário. Souvenir.

Dezembro é um mês cheio de comemorações. Já começa com o meu aniversário, depois vem happy hour disso, encontrinho daquilo, aí já é Natal, ano novo, e verão, calor, inferno. Lembro que liguei lá de Brasília pra mamãe na semana do meu aniversário e falei “mãe, não tem roupa. Não tem roupa nas lojas que valha a pena comprar. Não sei o que vou usar no meu aniversário.” Se aniversário pra mim já é Ano Novo, e eu faço questão de usar a roupa toda nova, que dirá depois de perder tanto peso como perdi. A salvação do aniversário foi uma blusa de seda (100%! raridade!) que achei na Maria Filó, combinada com calça jeans da Zara (que já está grande).

Aí cheguei semana passada em Niterói e vi que não tinha roupa nem pra passar o Natal. A princípio, eu ia passar de pijama mesmo (que também tá grande, mas qualquer coisa vale pra ficar confortável em casa), mas acabou que vamos viajar. A solução: ir às compras. Ou tentar ir às compras.

Impressionante como as lojas estão com todas as roupas iguais. Todas. Uma ou outra com uma coisinha um pouquinho diferente, mas aí não tem tamanho, ou é de material sintético, ou veste mal, ou tudo isso junto. Tudo tem recortes, tudo tem transparência, tudo é cropped, tudo é com “rabo de peixe”, tudo tem renda. Tudo é feito de material sintético. É um festival de 100% poliéster e 100% viscose por tudo quanto é arara. E os preços todos lá no alto.

Quando encontrava alguma coisa que daria pra usar, nada veste bem. Nem mesmo em uma das lojas que mais comprei nos últimos tempos consigo encontrar roupas pra mim. Até considerei comprar um vestido longo (55% linho 45% viscose) e dar bainha pro ano novo; ficou imenso, quase cabia outra de mim ali dentro.

Onde estão as fibras naturais, meu Deus? Tô cansada de ler tanta etiqueta de roupa escrito 100% poliéster e 100% viscose. Rayon então… E onde está o preço justo pelas roupas? Tem roupa de 3 mil reais de material sintético. Juro. É coisa que não dá pra entender.

E os preços estão afastando os consumidores. A grande maioria das lojas está vazia. Os/as vendedores/as ficam ENLOUQUECIDOS quando entra um potencial comprador na loja. Querem te vender a roupa que não veste bem com preço abusivo, querem te vender tudo de qualquer jeito. Eu sei que não tá fácil pra ninguém, mas não sou eu que vou deixar o suado dinheirinho da minha mãe numa loja que não me vende uma coisa que vale o preço que tá na etiqueta.

Juro que nunca fui cri cri pra compras. Alguns diriam até que sou (ou já fui?!) shopaholic. Meu lado Carrie Bradshaw grita: gosto de ver meu dinheiro no meu guarda roupas. Gosto mesmo. Mas como comprar roupas quando eu não uso cropped, detesto transparências, rabo de peixe não me favorece? Saia midi? Pregueada? Não tenho altura e nem corpo pra isso.

Essa busca por roupas boas e boas roupas cansa. Cansa muito. Chegou um momento hoje que eu simplesmente desisti. Não quis ver mais nada. Desânimo total.

Desde quinta, entrando em todas as lojas, consegui achar um único vestido (100% poliéster, mas não tem muito pra onde correr) que me vestiu razoavelmente bem. Tô entrando em loja que comprei a vida inteira e em loja que nunca comprei, e até mesmo já torci o nariz. Ainda me resta um dia de peregrinação pra tentar achar mais um. Isso porque ainda não achei roupa pro ano novo. Mas essa busca vou deixar pra última semana do ano, em Brasília mesmo.

Quem me dera ter um armário todinho de roupas em fibras naturais, com peças de excelente caimento e que me façam me sentir sempre bem vestida. Um dia, se Deus quiser, eu realizo esse sonho.

estampas do Bart Simpson

O estilista norte-americano Jeremy Scott (que, hoje, é diretor criativo da Moschino) levou para as passarelas do seu desfile de outono/2012 algumas peças estampadas pelo personagem Bart Simpson, prestando homenagem a uma das séries mais divertidas de todos os tempos.

não, obrigada.

não, obrigada.

Logo logo surgiram as mais diversas versões inspiradas nessa homenagem, e com preços bem mais acessíveis do que os de uma coleção prêt-à-porter de um estilista como Scott. Jeans, t-shirts, camisas, suéters… Fiz uma seleção de alguns jeitos bacaninhas de usar essa estampa, encontrados em vários perfis do Lookbook.nu!

  • Eu adoro o combo t-shirt + short, e gosto dos shorts coloridos que me ajudam a fugir do jeans de sempre. A combinação de cores ficou super bacana: vermelho, azul e branco juntos são um clássico, e esse tom de azul mais claro ficou super bonito entre as outras duas cores.
  • Adorei o jeito como ela misturou a estampa do Bart no suéter com uma saia de oncinha super feminina, e ainda complementou com a bolsa de peixe. Tem bastante informação, mas não ficou “over“. Oncinha é o novo preto, gente.
  • O chapéu e a saia rodadinha deram um ar ladylike ao look que faz a camisa jeans do Bart brilhar ainda mais, por ser a peça mais diferente – uma escolha pouco óbvia pra ser combinada a uma saia roada.
  • Aqui, a mesma camisa jeans aparece jogada por cima dos ombros e aberta – e isso é um truque de styling que tem aparecido muito por aí. Eu acho meio perigoso, mas na Willabelle achei que ficou super bacana em um look que, pra mim, se resume em uma palavra: equilíbrio. Ela equilibrou bem as proporções com o short super largo, mas curtinho e acinturado, e o top cropped. Os creepers com a meia aparecendo e o gorrinho evitaram o possível ~piriguetismo~ que o cropped e o short curto poderiam evocar.
  • Camisa jeans do Bart para os rapazes! Achei bacana ele ter escolhido uma calça jeans em uma lavagem mais escura, e ter dobrado a bainha deixando à mostra um pedacinho da meia amarela.
  • De todos os looks com a estampa do Bart que eu já vi, esse foi, de longe, o meu favorito. Tanto que deixei uma foto extra ali do lado pra observar com maiores detalhes essa combinação tão interessante de peças: parka (S2) + cardigan vermelho + t-shirt com estampa bacaninha + short jeans do Bart + mochila + meia calça + coturno. Os headphones fazem as vezes de acessório, combinados aos óculos escuros de ar retrô, e ao gorrinho branco. Eu já perdi a conta de quantas vezes saí por aí combinando essas mesmas peças de roupa, variando as cores/estampas. Ela combinou tudo de um jeito tão fácil que eu consegui me identificar – e é sempre assim que eu mais me inspiro.
  • Apelidei esse look de “overdose de Bart”! Short + camisa jeans com a mesma estampa retomam o conceito dos conjuntinhos, que voltaram com força há algumas estações. A “overdose de Bart” da Anastasia se justifica pelo minimalismo no restante do look: as botas pretas trazem peso, ao mesmo tempo em que os poucos acessórios que ela usa [um anel, os óculos escuros redondinhos <3, e pulseiras(?) fininhas pretas] não brigam com o conjuntinho. Acho que é preciso coragem pra usar a “overdose de Bart”, mas o resultado final pode ser bacana.
  • E, em meio à tanto Bart, um Homer! Afinal, o pai da família mais divertida da tevê também merece a sua estampa, né?! Gostei muito das cores (azul/cinza) do suéter, combinando com a camisa xadrez que o Nicolas usou por baixo e deixou só uns pedacinhos aparecendo. Esse tênis mais bruto deu mais “interessância” do que um sapatênis, por exemplo.

Eu confesso que não aderi à moda das estampas do Bart, e continuo preferindo algumas coisinhas que comprei no brinquedo dos Simpsons do que essas estampas em suéters e peças jeans. Também confesso que achei que essa moda fosse mais passageira, mas continuo vendo looks com essas peças por aí. Acho que, de qualquer jeito, vale a inspiração pra qualquer personagem adorado que mereça homenagem!

coleção Disney na Colcci

Tá lá no blog da Colcci: “não, você não caiu no buraco do coelho e está alucinando”. A marca que sempre chama atenção na SPFW e que está presente em todo o Brasil acaba de lançar uma mini-coleção todinha de t-shirts estampadas com personagens da Disney. E o melhor: vários personagens “secundários” (não gosto muito desse título! #disneyfreak ama todo mundo do mesmo jeito hehehe) mereceram as suas próprias estampas! Irmãos Metralha, João Bafo de Onça, Capitão Gancho, Malévola, Cruela DeVil e muitos outros estampam essa linha de t-shirts maravilhosas, que chega nas lojas agora em novembro. A gente já falou aqui no blog sobre jeitos legais de usar t-shirts com estamparia geek, e acho que essas fotos da Colcci também servem de inspiração pra gente!

Eles já liberaram as fotos da campanha e um lookbook com as t-shirts. Essas fotos da campanha foram todas clicadas lá no Walt Disney World!!

t-shirts do Bambi e da Cruella DeVil, clicadas no EPCOT!

t-shirt da Alice e t-shirt do Bambi, no carrossel do Magic Kingdom (e eu pirei completamente nesse look com a t-shirt da Alice, quero essa saia amarela pra ontem)

t-shirt do Pinocchio clicada em Downtown Disney

camiseta do Bambi, clicada no hotel All Star Movies

duas t-shirts dedicadas à Rainha Má da Branca de Neve, clicadas no hotel All Star Movies (esse negócio amarelo aí atrás é uma máquina de refrigerante hehehe)

regata d’A Dama e o Vagabundo, clicadas em ? (não consegui identificar hihihi)

Já as fotos do lookbook estão ~padrão~, com um painel decorado pelos personagens Disney ao fundo.

01 02 03 04Eu já tô completamente apaixonada por várias das t-shirts da coleção, e quero logo ir numa Colcci ver tudo de perto. Ainda não sei os preços, mas imagino que fique entre R$100 e R$200 (ouch!!). Mas, como meu aniversário tá chegando, e o Natal também, quem sabe eu não consigo ganhar alguma de presente? (x

geek t-shirts

Eu acho que caiu a minha ficha do “smart is the new sexy” ou que “geek is the new chic” quando eu comecei a ver um monte de gente usando t-shirt com estampa inspirada em histórias em quadrinhos e/ou óculos de aro grosso como acessório de moda. No início, eu achava muito esquisito ver quem não precisava usar óculos pra corrigir problemas de visão apelando pros óculos como recurso fashion. Ok, isso eu ainda acho esquisito, porque eu já fiz de tudo pra me livrar dos óculos de grau, mas já aceito com mais facilidade do que antes.

ou “geek is the new chic”. pode escolher!! (:

Já as t-shirts com estampas inspiradas em histórias em quadrinhos eu amei desde o início. Cansei de ver olhares esquisitos sendo lançados na minha direção quando eu saía usando uma t-shirt estampada do Homem Aranha, ou dos X-Men, ou de outros heróis. Hoje, as t-shirts inspiradas nos quadrinhos, e também com dizeres diversos que remetem ao universo geek são consideradas no mundo da moda como ótimas opções para montar looks cheios de personalidade.

Eu sei que isso pode causar certa estranheza, como se a moda estivesse “roubando” as nossas coisas. Mas isso logo se inverte se pensarmos que é uma ótima chance de usarmos com ainda mais orgulho as t-shirts estampadas que habitam os nossos armários há muito tempo! Eu, pelo menos, penso assim – e saio por aí toda feliz quando escolho uma blusa estampada assim pra andar pela rua!

Então quis aproveitar o dia de hoje pra compartilhar com vocês alguns looks que servem de inspiração pra tirar as t-shirts de estamparia geek do armário sem apelar imediatamente pra calça jeans. E a calça jeans que não me leve a mal, porque eu amo calça jeans, mas tô tentando fazer um exercício forte de usar menos as calças jeans e aproveitar mais outras peças do meu armário.

Katherine, do http://poshbykat.com

Margaret (em dose dupla), no http://lookbook.nu/margalatte

E pra relembrar: eu já mostrei aqui como eu usei um blusão do Homem de Ferro de uma maneira ~arrumadinha~!

Fashion Rio: resumão

Do mesmo jeito que resumi as principais tendências da SPFW, hoje faço uma síntese do que apareceu nas passarelas do Fashion Rio na semana passada. As propostas de moda pro outono/inverno 2014 mostradas na semana de moda do Rio de Janeiro podem ser consideradas renovadoras, depois de algumas temporadas sem muita “revolução” nas passarelas.

Ombros arredondados: segurando mangas mais amplas e redondas, os ombros despencaram nas passarelas da Espaço Fashion, Second Floor, Alessa, Coven, Ausländer e Filhas de Gaia.

ombros arredondados na Coven (foto de Charles Naseh).

Transparências: os tecidos transparentes insistem em aparecer em peças de muitas marcas, como Herchcovitch, Filhas de Gaia, TNG, Ausländer e Victor Dzenk, enfrentando o inverno com bastante força.

transparência na TNG (foto de Charles Naseh).

Prateado: assim como mostrado na SPFW, o prata se confirmou nas passarelas do Rio como a cor metalizada do outono/inverno 2014, mostrado nas passarelas de marcas  como Patrícia Vieira e Sacada.

prateado na Patrícia Vieira (foto de Charles Naseh).

Jeans: a força do jeans no Brasil foi pras passarelas do Fashion Rio, presente em muitas coleções. Na Oh, Boy!, era azul clarinho; na Sacada, escuro e bordado; em jacquard na Second Floor; na TNG, com tons acinzentados; e, no Herchcovitch, além do patchwork, o jeans tem tecido que estimula a circulação.

o jeans escuro e bordado da Sacada (foto de Charles Naseh).

Neoprene: Second Floor, R.Groove, Alessa e Espaço Fashion trouxeram o material esportivo para as passarelas.

neoprene na R.Groove (foto de Charles Naseh)

Saias: nas passarelas da Sacada, Andrea Marques, Coven, Espaço Fashion, Iódice, Herchcovitch, Second Floor, Oh, Boy!, muita variedade nos modelos, tanto nas peças únicas quanto nas saias dos vestidos. Micro, minis, midis (no joelho, ou pouco abaixo dele), longas; com pregas, plissados, godês ou justas com fendas enormes.

saia longa (musa!) com um leve godê na Andrea Marques (foto de Charles Naseh).

Calças amplas e curtas: esse modelo de calça competiu com os modelos skinnies nas passarelas do Fashion Rio, aparecendo em coleções de Andrea Marques, Coca Cola Jeans, Second Floor, Coven, Espaço Fashion, e Oh, Boy!.

calça ampla na Second Floor (foto de Charles Naseh)

Túnicas e tops: acompanhando saias leves de todos os comprimentos, ou calças transparentes, ou bermudas, as túnicas e os tops apareceram em quase todas as coleções, com linhas simples ou mangas arredondadas. De acordo com as passarelas de Sacada, Andrea Marques, Filhas de Gaia, Alessa, e Oh, Boy!, essas peças podem ser em moletons, tricôs, neoprene, veludo, ou tecidos preciosos. 

túnica com transparência na Iódice (foto de Charles Naseh).

E, do mesmo jeito que elegi um desfile favorito na SPFW, teve um desfile em especial que chamou a minha atenção no Fashion Rio: a Oh, Boy! que, com certeza, fez uma das coleções mais comerciais apresentadas nessa edição do Fashion Rio. Misturando o pós-punk com o balé russo, o resultado foi uma coleção jovem que privilegiou as sobreposições, dando sentido às peças mais quentes da estação, como os moletons sofisticados, as jaquetas jeans decoradas, e os jumpers de tricô em cropimento cropped.

foto de Charles Naseh

essas plumas nesse shape me fez lembrar os meus tempos de balé! adorei!

foto de Charles Naseh

foto de Charles Naseh

apaixonada por esse tom de vermelho

foto de Charles Naseh

quero esse look todo! (x

foto de Charles Naseh

jardineira incrivelmente linda!

foto de Charles Naseh

foto de Charles Naseh

desejando esse look inteirinho *.*

Mas, como o Fashion Rio acontece ali ~do outro lado da poça~ e tem no seu line up muitas das marcas que habitam o meu armário, não dá pra não dar menção honrosa pra Espaço Fashion e pra Ausländer.

A Ausländer – que tem roupitchas muito bacanas pra meninos e meninas – fez uma coleção minimalista, marcada pelo preto e branco – vedete de 2013 que continuará forte em 2014 – e estamparia em verde, inspirada por uma experiência futurista. As silhuetas são ajustadas ao corpo, com sobreposições de cortes amplos. Os acessórios tinham correntes grossas, e pedras que poderiam ter vindo de outro planeta.

foto de Charles Naseh

foto de Charles Naseh

foto de Charles Naseh

Já a Espaço Fashion, minha marca queridinha que sobressai no meu armário, inspirou-se nos mais diversos itens da Casa pra compor a coleção da marca jovem. Tomadas, molhos de chaves, e plugs de computadores apareceram na estamparia das peças que, em geral, tinham formas curtas e esportivas, com túnicas, coletes, calças largas, jaquetas, e vestidos midi.

foto de Charles Nasehfoto de Charles Naseh

foto de Charles Naseh

já tô sonhando com essa saia no meu armário!

foto de Charles Naseh

e com essa calça também xD

foto de Charles Naseh

Queria ter dado um pulo lá no Píer Mauá pra conferir tudo de perto, mas o tempo ruim que fez em Niterói e no Rio durante a semana quase inteira, combinado ao trânsito caótico que toma conta da cidade desde o fechamento da Perimetral, tornou essa missão verdadeiramente impossível. Vamos ver se rola pras temporadas de desfile do ano que vem!

PatBo para C&A

A coleção do Roberto Cavalli mal chegou às araras da C&A (o lançamento foi ontem e eu ainda nem consegui ir lá nem que seja só pra ver os preços das coisas), e já rola expectativa em torno da próxima ~parceria de luxo~ da fast fashion: PatBo!

Há uns dias atrás foi divulgado o vídeo promocional dos bastidores da Collection da PatBo pra C&A, e ontem surgiram algumas fotos e informações sobre a parceria, que chegará às lojas no dia 19 de novembro.

bastidores do shooting da coleção de festa da PatBo para C&A

Isso mesmo: daqui duas semanas já vai ter coleção fresquinha, cheia de bordados, nas araras de muitas C&A’s pelo Brasil. Prevejo a mulherada pirando, e ainda não sei se vou encarar (se bem que eu já tô mega apaixonada pelo arco de spikes da foto aqui de cima e não poderei ser julgada se estiver lá na porta da C&A no dia 19 esperando a loja abrir pra garantir um desses pra mim).

Antes de continuar falando da coleção, um pouquinho de história: a marca Patricia Bonaldi, que leva o nome da estilista, foca suas coleções no trabalho manual, o que garantiu o seu status de queridinha das ~celebs~ brasileiras. Por sua vez, a marca PatBo é a “irmã mais nova”, que tem roupas mais jovens, com os mesmos bordados, mas também peças de alfaiataria. Isso tudo deixa a marca um pouco mais fácil de ser reproduzida na versão fast fashion.

Rumores indicam que é uma das coleções mais ricas já produzidas em parceria com a C&A. Entre vestidos, casaquetos, saias, blusas, camisas, blazers, saias, shortes, calças e acessórios (clutchs bordadas, cintos, tiaras…), serão 48 peças com preços entre R$49,90 e R$690,00. A proposta da coleção é mais refinada, e aí retomamos aquela discussão que eu já levantei no post sobre o preview que eu vi do Cavalli: a coleção não tem o preço padrão da C&A, mas, se comparada com os preços praticados nas flagships das marcas, é, sim, bem mais acessível. É tudo uma questão de decisão, porque tem gente que não pode comprar na loja própria da PatBo e prefere investir numa peça de fast fashion com o nome da marca do que nunca ter um design da artista (porque é inegável que Patricia Bonaldi é uma artista de mão cheia).

~criadora e criatura~

Estou, sim, curiosa e ansiosa pra conferir a coleção nas araras. Quero ver se as peças serão bem feitas e se terão o cuidado que um bordado de luxo precisa pra ser bonito. Não sei se terei coragem de investir em uma das peças logo no lançamento, mas se der pra comprar a tal tiara que eu amei, não vou reclamar!

SPFW: resumão

Semana passada rolou a São Paulo Fashion Week, mostrando as coleções de grandes marcas brasileiras para o outono/inverno 2014 (sim, a moda é louca e a gente não tá nem no verão ainda e já tão com coleção de outono/inverno do ano que vem pronta). Mesmo de longe, acompanhei os desfiles e fiz um resumão das tendências apresentadas nas passarelas pra registrar aqui.

Conforto chique: Colcci, Juliana Jabour, Animale, Pat Pat’s e Triton foram algumas das marcas que apresentaram coleções com muitos blusões e calças tipo jogging em tecidos sofisticados, com punho nas barras ou em moletom todo bordado. Algumas marcas misturaram as peças mais esportivas com cropped tops e blusas mais ajustadas.

conforto chic na Colcci com calça larguinha e cropped top (foto de Charles Naseh)

Couro total: Ellus, Alexandre Herchcovitch, Cavalera e Tufi Duek trouxeram o material com força, dando destaque para as peças únicas e também para looks em couro total preto, com volumes e movimentos.

look em couro por Alexandre Herchcovitch (foto de Charles Naseh)

Calça cropped: Forum e Uma mostraram as pantalonas mais curtas e bem amplas, relembrando um bermudão.

calça cropped na Ellus (foto de Charles Naseh)

Fendas: Têca, Osklen, Reinaldo Lourenço e Vitorino Campos mostraram fendas duplas na frente ou bem profundas atrás, deixando os vestidos de festa mais sexy.

fendas duplas na Triton (foto de Charles Naseh)

Telas e Vazados: Ronaldo Fraga, Osklen e Amapô deixaram as roupas de inverno mais arejadas a partir de redes e recortes, que podem deixar muita pele de fora sem nenhum decote.

tela de Ronaldo Fraga (foto de Charles Naseh)

Neutros glaciais: Pedro Lourenço e João Pimenta foram alguns dos estilistas que romperam com as temporadas onde os neutros tinham tons rosados, focando a cartela de cores no branco, no off-white, no gelo e no marfim.

neutro glacial de João Pimenta (foto de Charles Naseh)

Casaco amplo: casacões tipo casulo (que são uma delícia de vestir!) apareceram nas coleções Forum, Pedro Lourenço, Triton, Vitorino Campos, Ellus e Reinaldo Lourenço.

casaco amplo de Pedro Lourenço (foto de Charles Naseh)

Macacão: de acordo com as passarelas de Colcci, Cavalera, Ellus, Gloria Coelho e Patrícia Motta, a peça ainda vai render muito no outono/inverno 2014. Ainda bem.

macacão de Patrícia Motta (foto de Charles Naseh)

Peplum: Acquastudio, Alexandre Herchcovitch, Juliana Jabour, Animale e Forum foram algumas das marcas mostraram a modelagem em versões que ajudam a disfarçar uma pequena barriguinha.

peplum na Animale (foto de Charles Naseh)

Preto sobre preto: pode parecer óbvio, mas as coleções Ellus, Fernanda Yamamoto, Alexandre Herchcovitch, Osklen, Triton, Cavalera e Gloria Coelho valorizaram o lado negro da força a cor como statement do inverno, em camadas e texturas.

total black na Osklen (foto de Charles Naseh)

Xadrez: a padronagem que é coringa do inverno continua com força em 2014 de acordo com João Pimenta, Colcci, Cavalera, Forum, Osklen e Ronaldo Fraga, desta vez com cores contrastantes, gradações variadas e até mesmo manchado sobre o tecido.

desejando esse look!

macacão xadrez + casaco amplo xadrez na Colcci (foto de Charles Naseh)

Tecidos rústicos: Tufi Duek, Ronaldo Fraga e Osklen usaram ráfia, palha de seda e linho, oferecendo um toque natural para as peças.

o rústico de Ronaldo Fraga (foto de Charles Naseh)

Saia evasê: Samuel Cirnansck, Fause Haten, Colcci, Acquastudio, Patrícia Motta, Triton e Ronaldo Fraga trouxeram a saia que desenha um A em comprimentos abaixo do joelho; godês, franzidas ou pregueadas, essas saias rodadas parecem voltar com força total.

a saia evasê de Samuel Cirnansck (foto de Charles Naseh)

Saia transparente: mais difíceis de usar, apareceram nas passarelas de Fernanda Yamamoto, Triton, Fause Haten, Acquastudio, Alexandre Herchcovitch e Animale.

saia transparente na Triton (foto de Charles Naseh)

Prata: o tom metálico foi mostrado por Juliana Jabour, Reinaldo Lourenço, Patrícia Motta, Pedro Lourenço e Pat Pat’s como predominante das estações, sem nenhuma ostentação.

look total prata de Juliana Jabour (foto de Charles Naseh)

Efeito changeant: um certo brilho perolado cobre as peças de Lino Villaventura, Pedro Lourenço e Patrícia Motta, dando tridimensionalidade às roupas.

efeito changéant de Lino Villaventura (foto de Charles Naseh)

Calcanhar de fora: Vitorino Campos, Melissa e Alexandre Herchcovitch apostaram em sapatos que deixam os calcanhares de fora.

calcanhar de fora da Melissa (foto de Charles Naseh)

Pedraria: Gloria Coelho, Juliana Jabour, Patrícia Motta e Samuel Cirnansck trouxeram a técnica nos detalhes ou na construção de texturas, longe dos bordados dos vestidos de festa.

pedraria de Gloria Coelho (foto de Charles Naseh)

Nessa semana rola a Fashion Week aqui do Rio, e eu vou continuar de olho pra resumir pra gente as principais tendências das próximas estações. Mas eu não posso terminar esse post sem contar pra vocês qual foi o meu desfile favorito dessa semana de moda de São Paulo: Pat Pat’s!

A marca imprimiu em peças como os shortinhos e as calças esportivas uma cara bem jovem, apresentando uma coleção bem comercial. E é porque ganhou o meu coração que esses looks mereceram destaque. Muito preto, muito dourado e muito prateado em peças de couro e de tricot. As camisetas com estampas de bandas de rock e das princesas da Disney encheram os meus olhos; eu quero a t-shirt do Nirvana pra ontem!

roupa com estampa de gibi: IRON MAN

Com a proximidade da estréia da sequência de Thor, já comecei a pensar num look adequado pra ocasião. Sim, há de se pensar no look que se usa pra pré-estréia ou estréia de um filme geek!!

Aí lembrei desse look que usei nesse ano, quando fui na pré-estréia de Homem de Ferro 3, e resolvi mostrar pra vocês aqui, servindo também de inspiração pra filmes futuros. Vingador por Vingador, o Homem de Ferro é o meu favorito, e eu comprei esse moletom na Forever21 em uma das minhas últimas viagens pros EUA. É lógico que ele tinha que ser usado na pré-estréia do filme, né.

Eu devo admitir que a lógica que guiou o look foi o conforto. Eu estava usando aparelho, e era todo um drama na minha vida pra me vestir sem parecer uma criança de 13 anos e ainda me manter fiel ao meu estilo. Tenhamos em mente também que era abril e, já que eu morro de frio no cinema, tinha que ficar super quentinha, é claro. O look geek preguiçoso foi inevitável.

IMG_5160

Mas ser preguiçoso não precisa ser largado! A esperança fashion é a última que morre. Então combinei a blusa de moletom do Homem de Ferro com legging de oncinha da Farm e botinha de cano curto da Converse. A legging de oncinha deixou a coisa menos tomboy e mais perua feminina! E, já que eu tava assumindo tudo de geek que há dentro de mim, me pareceu adequado usar os óculos de aro grosso ray Ban (o que foi ótimo, já que a sessão era de madrugada e eu já tinha usado lente o dia inteiro e meu olho tava cansado #dramas).

oi, eu sou a Letícia, e eu não sei tirar foto.

oi, eu sou a Letícia, e eu não sei tirar foto.

Dentro da sala de projeção, entrou em cena (hã? hã?) a parka da Cantão que é xodó do meu guarda roupa, e foi uma das minhas compras favoritas do outono/inverno 2013.

IMG_5163

ataque de palhacite.

Achei que, ao combinar a botinha com a bolsa, consegui chegar mais perto de atingir esse equilíbrio entre o geek e o fashion. A bolsa Louis Vuitton foi obviamente escolhida pra deixar tudo com jeitinho mais classy, e o batom vermelho (esse é o Ruby Woo, da MAC!) é aliado quase sempre certo dos óculos de aro grosso. Sem contar que um batom vermelho resolve questões de maquiagem com uma eficiência incrível, é um truque muito bom pra quem quer ficar biita sem gastar muito tempo na frente do espelho.

Dá pra ver como as peças conversam entre si e tudo acabou ficando harmonioso? Vou tentar repetir a dose pro look pra ver Thor essa semana!

Helena Bordon apresentando Roberto Cavalli para C&A

Já contei pra vocês que segunda feira foi um dia bem zoado na minha vida, né. Pois é. Como nem tudo é tão ruim assim, eu tive a grata surpresa de me deparar com a Helena Bordon apresentando a coleção do Roberto Cavalli para a C&A no Park Shopping aqui de Brasília. A blogueira é a embaixadora da Collection Cavalli para C&A e passou por três cidades brasileiras (Salvador, Rio de Janeiro e Brasília) para mostrar um preview da coleção para a loja fast fashion, coleção esta que será formada por 56 peças.

Pois é, eu fui dar uma volta despretensiosa no shopping na segunda de manhã, com um vestidinho e uma rasteirinha, sem pentear o cabelo e sem maquiagem, e, quando vi, tava sentada na C&A tomando bons drink refrigerante e comendo canapé enquanto esperava Helena Bordon, aquela boneca, começar a falar sobre a coleção, que será lançada no dia 05 de novembro nas lojas.

encarte com lookbook da coleção

encarte com lookbook da coleção

É claro que, numa segunda feira em que tudo estava dando errado, eu não fazia ideia de que ia acabar participando desse evento no shopping. Se eu soubesse, teria levado a câmera DSLR (que incrivelmente veio para Brasília) pra tirar fotos boas pro blog. No mínimo, eu teria carregado a bateria do iPhone pra tirar fotos com uma qualidade ok. Ou eu teria levado a bateria extra. Mas, não. O iPhone com a câmera melhor resolveu ficar sem bateria logo que a Helena começou a falar sobre as suas peças favoritas, eu esqueci a bateria extra em casa, e a ~sorte~ foi que o outro iPhone (mais velho e com câmera infinitamente pior) tava com bateria.

Helena Bordon apenas sendo linda.

Helena Bordon apenas sendo linda na única foto que consegui tirar com o iPhone que tem uma câmera razoável.

Ou seja: temos várias fotos, mas não são as melhores do mundo. Vocês me perdoam?

IMG_1817

Helena conversou por um tempo com os presentes sobre a coleção, vestindo um longo em animal print de seda (que vai custar R$799,90), e com acessórios também da coleção. Sim, não esperem padrão C&A nos preços dessa Collection. Pelo que deu pra ver nesse preview, as peças estão mais caras, mas o acabamento é impecável. A coleção tem peças que poderiam facilmente estar numa loja Cavalli – o DNA do estilista está mesmo todo ali. Todas as peças são de seda pura, jersey de seda, cotton alfaiataria e cotton satin, que foram escolhidos a dedo pelo estilista.

Acho que vale a pena falar um pouco sobre Roberto Cavalli, né? Pra quem não o conhece, o estilista italiano apresentou a sua primeira coleção prêt-à-porter aos 30 anos, e inaugurou a sua primeira boutique em Saint Trôpez em 1972. O estilista desenha diversas linhas de roupas e acessórios, e, para roupas femininas, preza por modelos que valorizem o corpo da mulher, fazendo com que ela se sinta mais sexy e poderosa. Nas suas coleções, o animal print está sempre presente nas suas araras.

Seria possível resumir o lifestyle da mulher Cavalli assim: ela é independente, abusa do animal print e adora looks poderosos; ela usa dourado sem medo, e é sexy sem ser vulgar.

IMG_1821

Na C&A do Park Shopping, a it girl brasileira que circula com frequência as rodas internacionais da moda e é constantemente clicada pelos blogs gringos de street style com looks mais do que inspiradores, contou que o estilista cuidou de cada peça que compõe a coleção, preocupando-se não só com o acabamento e com os tecidos usados, mas também buscando desenhar peças que sejam adequadas ao corpo das brasileiras. Helena ainda mostrou algumas combinações entre as peças da coleção:

vestido preto + blazer animal print p&b + bolsa na mesma padronagem

vestido preto + blazer animal print p&b + bolsa na mesma padronagem

blazer preto + camisa animal print. acho chique.

blazer preto + camisa animal print. acho chique.

blusa rosa + short alfaiataria com animal print azul. eu usaria!

blusa rosa + short alfaiataria com animal print azul. eu usaria!

Helena Bordon também destacou dois looks como os seus favoritos – segundo ela, os que ela levaria pro seu próprio armário: um vestido de seda muso em animal print azul, e um conjuntinho de calça pantalona e blusa também em animal print, mas com padronagem em p&b.

quero já esse vestido muso na minha vida, com um sapato poderoso e uma bolsa linda pra uma festa, e pro dia a dia com uma rasteirinha simples

quero já esse vestido muso na minha vida, com um sapato poderoso e uma bolsa linda pra uma festa, e pro dia a dia com uma rasteirinha simples

IMG_1813

Ela também mostrou pra gente os acessórios e os sapatos desenhados por Cavalli para C&A. Deu pra ver que o azul e o vermelho vem com força pra essa mini coleção, todos com riqueza de detalhes. As aplicações em pedraria e os detalhes dourados deixaram as peças bem luxuosas, e eu acho que a mulherada vai pirar quando a coleção chegar nas lojas.

mesa de acessórios: bolsas e sapatos em cores fortes e com animal print!

dicas da Helena pros acessórios: não ter medo de ousar!

dicas da Helena pros acessórios: não ter medo de ousar!

IMG_1829

Depois da apresentação, tirei foto mais de perto das araras com as roupas:

IMG_1822

animal print p&b: duas tendências em uma só estampa

animal print p&b: duas tendências em uma só estampa

essa oncinha azul mexeu comigo <3

essa oncinha azul mexeu comigo ❤

IMG_1828

Não é de hoje que a C&A tem buscado inovar seu papel no mercado, atraindo novos consumidores e investindo em coleções que trazem o DNA de marcas renomadas. Eu mesma passei a prestar mais atenção na marca desde a sua primeira parceria com a Espaço Fashion, ainda em 2010 (eu tenho um coturno da coleção que é meu xodó e eu uso muito até hoje). De lá pra cá, vimos parcerias com a Maria Filó, com a Maria Bonita Extra, com a Mixed, com a Santa Lolla, e muitas outras marcas queridinhas por gente que muito provavelmente nunca tinha posto os pés numa loja da rede antes de saber dessas parcerias. Para firmar-se no mercado brasileiro como fast fashion, e não apenas como loja de departamento com roupas low cost, tenho visto cada vez mais uma C&A preocupada com o design e com o acabamento das suas roupas – e isso só traz ganhos ao consumidor.

É claro que a coleção de Cavalli não tem o preço padrão C&A, mas as peças também não se encaixam nesse padrão: os tecidos tem qualidade superior ao que estamos acostumados a ver nas araras das lojas, e até mesmo os vestidos de jersey prometem vestir os corpos das brasileiras sem deixar nada fora do lugar, destacando o que temos de melhor. As peças de seda tem o toque macio, as peças de alfaiataria tem corte impecável. Eu confesso que estou ansiosa pra poder provar as peças da coleção pra ver como ficam no meu corpo – e, quem sabe, arrematar mesmo o vestido azul de animal print pra morar no meu armário.

No mais, foi uma grata surpresa ver Helena Bordon de pertinho. Não sei se deu pra notar ao longo do post, mas ela é, pra mim, uma grande referência de estilo. Foi bem legal vê-la de perto falando sobre uma coleção que será razoavelmente acessível à todas as brasileiras e fazendo combinações bacanas entre as peças que estarão à venda.