Arquivo da tag: desenhos

flocos de neve de uma aventura congelante

Comentei no post passado que fui assistir FROZEN com a mamãe nos cinemas assim que cheguei da viagem, e que eu tinha ficado apaixonada pela história – e pelas músicas, pelos personagens, etc.

Aí eu estava hoje fazendo a minha habitual ronda pela internê quando encontrei essas imagens de flocos de neve recortados à mão com inspiração na história congelante:

Anna, Elsa & Olaf ❤

esse é pra brincar de “encontre o Olaf” (x

o meu favorito, com o perfil da Elsa ❤

E, ainda no assunto #frozenfandom, esses desenhos de Arendelle congelaram aqueceram o meu coração!

Quem acha que eu tô muito apaixonada por essa história levanta a mão o/

PS: quem assistir FROZEN nos cinemas pode ver o curta Get a Horse! com Mickey e Minnie antes do começo do filme! É fofo demais, começa em P&B e depois…

(;

estampas do Bart Simpson

O estilista norte-americano Jeremy Scott (que, hoje, é diretor criativo da Moschino) levou para as passarelas do seu desfile de outono/2012 algumas peças estampadas pelo personagem Bart Simpson, prestando homenagem a uma das séries mais divertidas de todos os tempos.

não, obrigada.

não, obrigada.

Logo logo surgiram as mais diversas versões inspiradas nessa homenagem, e com preços bem mais acessíveis do que os de uma coleção prêt-à-porter de um estilista como Scott. Jeans, t-shirts, camisas, suéters… Fiz uma seleção de alguns jeitos bacaninhas de usar essa estampa, encontrados em vários perfis do Lookbook.nu!

  • Eu adoro o combo t-shirt + short, e gosto dos shorts coloridos que me ajudam a fugir do jeans de sempre. A combinação de cores ficou super bacana: vermelho, azul e branco juntos são um clássico, e esse tom de azul mais claro ficou super bonito entre as outras duas cores.
  • Adorei o jeito como ela misturou a estampa do Bart no suéter com uma saia de oncinha super feminina, e ainda complementou com a bolsa de peixe. Tem bastante informação, mas não ficou “over“. Oncinha é o novo preto, gente.
  • O chapéu e a saia rodadinha deram um ar ladylike ao look que faz a camisa jeans do Bart brilhar ainda mais, por ser a peça mais diferente – uma escolha pouco óbvia pra ser combinada a uma saia roada.
  • Aqui, a mesma camisa jeans aparece jogada por cima dos ombros e aberta – e isso é um truque de styling que tem aparecido muito por aí. Eu acho meio perigoso, mas na Willabelle achei que ficou super bacana em um look que, pra mim, se resume em uma palavra: equilíbrio. Ela equilibrou bem as proporções com o short super largo, mas curtinho e acinturado, e o top cropped. Os creepers com a meia aparecendo e o gorrinho evitaram o possível ~piriguetismo~ que o cropped e o short curto poderiam evocar.
  • Camisa jeans do Bart para os rapazes! Achei bacana ele ter escolhido uma calça jeans em uma lavagem mais escura, e ter dobrado a bainha deixando à mostra um pedacinho da meia amarela.
  • De todos os looks com a estampa do Bart que eu já vi, esse foi, de longe, o meu favorito. Tanto que deixei uma foto extra ali do lado pra observar com maiores detalhes essa combinação tão interessante de peças: parka (S2) + cardigan vermelho + t-shirt com estampa bacaninha + short jeans do Bart + mochila + meia calça + coturno. Os headphones fazem as vezes de acessório, combinados aos óculos escuros de ar retrô, e ao gorrinho branco. Eu já perdi a conta de quantas vezes saí por aí combinando essas mesmas peças de roupa, variando as cores/estampas. Ela combinou tudo de um jeito tão fácil que eu consegui me identificar – e é sempre assim que eu mais me inspiro.
  • Apelidei esse look de “overdose de Bart”! Short + camisa jeans com a mesma estampa retomam o conceito dos conjuntinhos, que voltaram com força há algumas estações. A “overdose de Bart” da Anastasia se justifica pelo minimalismo no restante do look: as botas pretas trazem peso, ao mesmo tempo em que os poucos acessórios que ela usa [um anel, os óculos escuros redondinhos <3, e pulseiras(?) fininhas pretas] não brigam com o conjuntinho. Acho que é preciso coragem pra usar a “overdose de Bart”, mas o resultado final pode ser bacana.
  • E, em meio à tanto Bart, um Homer! Afinal, o pai da família mais divertida da tevê também merece a sua estampa, né?! Gostei muito das cores (azul/cinza) do suéter, combinando com a camisa xadrez que o Nicolas usou por baixo e deixou só uns pedacinhos aparecendo. Esse tênis mais bruto deu mais “interessância” do que um sapatênis, por exemplo.

Eu confesso que não aderi à moda das estampas do Bart, e continuo preferindo algumas coisinhas que comprei no brinquedo dos Simpsons do que essas estampas em suéters e peças jeans. Também confesso que achei que essa moda fosse mais passageira, mas continuo vendo looks com essas peças por aí. Acho que, de qualquer jeito, vale a inspiração pra qualquer personagem adorado que mereça homenagem!

JK Rowling desenhou, e a gente amou

Depois de tantos anos sendo ~fã xiita~ de Harry Potter (amo/adoro essa expressão!), é difícil encontrar algo que eu já não tenha visto. Então eu sempre fico mega ultra feliz quando descubro uma novidade, uma coisa que eu não sabia que existia, principalmente 6 anos depois do fim da publicação dos livros, e mais de 2 anos depois do último filme. Eu vinha preenchendo o meu “tempo ocioso de Potter” com o Pottermore, e é claro que eu fiquei em estado de festa quando foi anunciada a pré-produção do filme inspirado no livro Animais Fantásticos e Onde Habitam, principalmente porque a J.K. Rowling será uma das produtoras (pulinhos de alegria).

E o post de hoje não é sobre ela, mas é sobre um desenho que ela fez, em 1999. Eu tinha que compartilhar com vocês essa fofura:

desenhado e assinado por J.K. Rowling em 1999

desenhado e assinado por J.K. Rowling em 1999

Sem brincadeira: meus olhos ficaram cheios de lágrimas quando eu vi esse desenho. Pensar que a própria tia Jo (esse é o meu jeitinho íntimo/carinhoso de chamar a criadora/autora do meu universo fantástico favorito) desenhou os personagens, colocando no papel como ela via cada um deles quando escrevia as histórias, foi emoção demais pra mim. É muito amor em um desenho só!

O Harry abraçando o Dobby, cara. Tears.

Disney art by Katia Oloy

Outro dia tava fazendo a minha habitual ronda pelo blog Oh My Disney (o melhor blog pra quem é Disneyfreak, cheio de memes e coisas bacanas relacionadas à Disney) e me deparei com essas pinturas lindas das princesas da Disney:

disney-pricess-ariel disney-princess-aurora disney-princess-cinderella disney-princess-jasmine disney-princess-pocahontas disney-princess-snow-white

Lindas, né? Como a curiosidade não tem limites, corri lá no Disney Insider pra saber mais sobre a artista: Katia Oloy trabalha no departamento de Video Visual Development da Disney, e começou a trabalhar na empresa como estagiária. Aqui tem uma extensa entrevista com a artista, onde ela conta que seus personagens favoritos da Disney são Alice e Mickey Mouse!

Ela também desenhou alguns vilões da Disney com inspiração nos anos 20:

disney-art-yzma-1920s-fashion disney-art-1920s-fashion-inspired-by-ursula disney-art-1920s-fashion-inspired-by-captain-hook disney-art-1920s-fashion-inspired-by-cruella-de-vil disney-art-1920s-fashion-inspired-by-the-evil-queen

Fiquei encantada com o trabalho da Katia, e vou ficar de olho em futuras artes da sua autoria!

quem fez isso merece um prêmio

IMG_7097

 

Apenas uma palavra: GENIOUS.

um geek year nos cinemas

2013 está quase acabando e podemos dizer que foi um bom ano para os geeks irem aos cinemas. Sim, ainda há muito por vir, porém já podemos fazer um balanço do que já assistimos – e também compartilhar as nossas expectativas pelo que ainda está por vir. Ao todo, poderíamos listar cerca de 50 “geek movies”, ainda que nem todos tenham chegado ou cheguem ao circuito brasileiro (ou niteroiense).

Foi difícil, mas elegi os meus top 10 filmes geeks que assisti nos cinemas em 2013. Vem ver:

10- O Cavaleiro Solitário

O Cavaleiro Solitário

  • Falem o que quiser, eu gostei desse filme. E como eu não poderia gostar se o filme era dirigido pelo Gore Verbinski, produzido pelo Jerry Bruckheimer, e ainda tinha Johnny Depp?! Menção honrosa pro Armie Hammer. O ~recalque hollywoodiano~ que assombrou esse filme bate nos longos cabelos de Depp e volta.

9- Universidade Monstros

Monsters University

  • Vocês podem até questionar, espernear, dizer que “filme de criança não”. Mas, gente, fala sério: Mike Wazowski chegando na faculdade de aparelho?! Me senti muito representada (até porque quando estreou eu estava usando aparelho – de novo -, mas isso é história pra outro post). É claro que esse filme – um prequel – não tem o apelo de Monstros S.A., mas é bastante divertido, e tem várias lições bacanas pra essa geração que tá crescendo agora. Talvez eu esteja exagerando um pouquinho, mas é possível dizer que se mais crianças fossem tocadas pela história desse filme – que fala de bullying, amizade, superação – o mundo seria um lugarzinho melhor quando os baixinhos de hoje forem grandinhos amanhã.

8- Jurassic Park: O Parque dos Dinossauros 3D

Jurassic Park 3D

  • Acho que essa versão em 3D é a realização dos sonhos de uma geração – ou várias gerações – né? Não tem nem muito o que dizer sobre esse filme. Achei muito bom ver a tecnologia de 1993 ser transformada pras telonas em 2013. Way to go, Spielberg.

7- O Homem de Aço

  Man of Steel

  • Esse talvez tenha sido a maior decepção de todos os filmes que assisti em 2013. Ok, é muito bom; ok, os efeitos são incríveis. Mas eu esperava mais. Com a direção de Zack Snyder e produção de Chris Nolan, eu esperava que a história tivesse sido melhor contada, e também esperava uma atuação mais pujante Henry Cavill. Da Amy Adams eu nem falo muito que é pra não ficar mais decepcionada: ela é uma atriz que eu adoro, mas achei que a Lois Lane dela ficou aquém do esperado (pelo menos por mim). 

6- Meu Malvado Favorito 2

Despicable Me 2

  • O Gru é um geek de coração, né? Eu fiquei completamente gamada pelo Meu Malvado Favorito e aguardava ansiosamente pela continuação. Tudo bem que foi um filme quase que só sobre os minions, mas acho que a Universal soube explorar bem o sucesso dos pequenos e adorados personagens pra fazer um filme que agradasse a todos.

5- Red 2: Aposentados e Ainda Mais Perigosos

Red 2

  • Esse foi com certeza um dos melhores do ano. Me diverti pra caramba com esse filme que, convenhamos, já ganha a gente em qualquer trailer, com um elenco fera desses. As sequências de ação são fantásticas e, combinadas ao humor inteligente, faz desse um daqueles filmes que vale o ingresso, a pipoca, a Coca Cola, e mais um pouco. 

4- Wolverine: Imortal

Wolverine

  • Taí um filme que provocou em mim o efeito contrário d’O Homem de Aço: eu fui com tão pouca expectativa (ok, nem tão pouca assim) que acabei sendo positivamente surpreendida. É verdade que eu gosto bem mais das HQs da Marvel do que da DC, e que tenho um carinho especial (~own que fofo~) pelos X-Men, mas eu realmente gostei bastante do filme. Ao contrário de Homem de Aço, que me cansou um pouquinho, eu curti cada segundo da projeção de Wolverine: Imortal. Ponto para a cena depois dos créditos, que me fez encher os ólhos d’água com esperança (e vou parar de falar sobre isso por aqui porque, né, vai que alguém não assistiu).

3- Pacific Rim

Pacific Rim

  • Monstros gigantes lutando contra robôs gigantes. Preciso dizer mais alguma coisa? Ah, sim, obrigada, Guillermo Del Toro.

2- Homem de Ferro 3

Iron Man 3

  • Ok, eu tenho uma queda pelo Homem de Ferro desde que a Marvel levou a história pros cinemas, mas eu realmente gostei bastante desse filme. Shane Black assumiu a direção depois de Jon Favreau ter comandado os 2 primeiros filmes, e não deixou a desejar (embora eu, Letícia, prefira o Jon Favreau). Foi o primeiro filme lançado pelos estúdios da Marvel (aliás, God bless o dia em que a Marvel decidiu assumir a produção dos filmes) depois de The Avengers: Os Vingadores, e trouxe às telas o Mandarim – que, vamos combinar, é um dos melhores vilões de HQs de todos os tempos. E, Robert Downey Jr., sem comentários.

1- Star Trek: Além da Escuridão

Star Trek: Into Darkness

  • Eu tava tão ansiosa pra ver esse filme que eu assisti nos EUA mesmo, quando nem tinha estreado no Brasil. Pois é, nesse nível. Tava lá em plenas férias e cismei de que tinha que ir ao cinema ver esse filme ainda na estréia. E fui. E não me arrependi nem um pouquinho. Nossa, que filmaço. J. J. Abrams não brincou em serviço e fez um filme que vai muito além dos efeitos especiais muito bem feitos: a história prende a gente de uma forma que chega arrepiar. Agora imagina como eu fiquei assistindo em IMAX 3D? Foda.

E nesses meses de 2013 que nos restam? Ainda tem coisa boa vindo por aí. Vou contar pra vocês quais os 2 filmes estão me deixando mais ansiosa, completando o nosso top 10 de hoje:

1- O Hobbit: A desolação de Smaug

The Hobbit: The Desolation of Smaug

  • Depois de “O Hobbit: Uma Jornada Inesperada” no ano passado, é lógico que eu estou morrendo de ansiedade pra ver a continuação. E, gente, vai ter dragão (!!!).

2- Thor: O Mundo Sombrio

Thor: O Mundo Sombrio (2013) Poster

  • Embora não seja (nem de longe) o meu herói favorito, ter um motivo pra ir aos cinemas pra ver uma adaptação de HQ é sempre motivo de alegria, né? 

Gostaram dessa listinha? Será que faltou algum filme? Conta pra gente aí nos comentários o que vocês pensam!