Arquivo da tag: bolsas

eu não entendo uma máquina de it bags

Outro dia tava fazendo a minha habitual ronda em busca de inutilidades pela ~internê~ quando achei a seguinte imagem:

maquinabolsas1

Trata-se de uma vending machine (ou em bom português: maquineta de vendas) recheada de it bags. Essa imagem foi veiculada no instagram da Interview Magazine. Nessa foto, reconheço, entre outros, alguns modelos da Dior, Fendi,  Hermès. Essa imagem me incomodou na mesma hora, e eu percebi que não conseguia entender o sentido por trás disso.

E eu explico o porquê: uma it bag não é uma it bag só porque é bonita ou porque é de uma grife conhecida e reconhecida internacionalmente. Uma it bag envolve um conceito de compra de luxo que, definitivamente, não é traduzido pela vending machine.

Eu adoro a praticidade das vending machines, e acho incrível que estejamos chegando a uma era em que podemos comprar muito mais do que comidinhas e bebidas em máquinas desse tipo. Me lembro com perfeição da primeira vez que vi uma máquina da Best Buy em um aeroporto nos EUA, e como achei a ideia de compra on-the-go de eletrônicos revolucionária. Isso deve fazer uns 3 anos. De lá pra cá, a Benefit Cosmetics, marca queridinha de cosméticos (eu, pelo menos, amo) também instalou vending machines recheadas dos seus produtos de beleza nos aeroportos.

Best Buy Express

Mas uma máquina de vendas de it bags me incomoda e muito. Veja bem, uma vending machine do Best Buy no aeroporto é muito conveniente: uma máquina desse tipo pode resolver problemas de pessoas que esquecem o carregador de smartphone/tablet, ou precisam de um adaptador universal de tomadas, ou esquecem o fone de ouvido, ou o fone de ouvido estragou no meio da espera da conexão (já aconteceu comigo), ou quem simplesmente quer arrematar um iPod shuffle nos últimos minutos de solo americano.

Do mesmo modo, uma máquina que vende itens de beleza no aeroporto pode ser um verdadeiro salva vidas. Quem nunca chegou no destino de uma viagem com uma cara tão esquisita que parece que tinha levado um susto que atire a primeira pedra. Eu tive que aprender muito nessa vida pra levar um ~kit de sobrevivência~ bem editado na bolsa, com itens que podem salvar a aparência depois de longas horas de vôo sem pesar muito a bagagem de mão. Não preciso nem dizer o quanto me faz feliz a ideia de, numa conexão, já comprar, entre outros, o meu primer favorito e o meu corretivo adorado numa maquininha fofa dessas.

A ideia de comprar uma it bag em uma máquina não me convence nem um pouco. Pelo menos por enquanto. Pode ser que, um dia, eu morda a minha língua, e o único jeito de comprar qualquer coisa seja em máquinas desse tipo. Mas, enquanto houver opção, eu prefiro a experiência da compra.

Eu me lembro direitinho da minha primeira it bag, que foi um presente da minha vó há mais de uma década. A Victor Hugo estava no auge aqui no Brasil, e o meu sonho de consumo era uma mochilinha da marca. O modelo icônico que despertava o desejo de uma menina de 10 anos era esse aqui:

o mesmo modelo que mora até hoje no meu armário

Em uma determinada tarde do ano 2000, a minha vó me levou no shopping e me disse que ia me dar de presente a bolsa que eu queria. Eu fiquei super emocionada, achei aquilo o máximo! Entrar na loja com ela, ver a decoração, obervar os diversos modelos expostos, ter um atendimento mega personalizado, ver todas as muitas possibilidades; tudo isso fazia parte de uma experiência de compra luxuosa. Naquele dia, eu ganhei a minha primeira it bag, que uso e guardo até hoje, junto das outras duas bolsas que a minha vó comprou naquele dia (uma pra ela e outra pra minha mãe).

A experiência se repetiu anos depois, em 2010, quando tive coragem suficiente de investir o meu próprio dinheiro em uma Louis Vuitton, aproveitando uma viagem aos EUA. Aos 20 anos, eu já entendia muito mais o conceito de uma compra de luxo do que quando eu tinha 10 anos e ganhei aquela mochila da Victor Hugo. A experiência de compra em torno de uma bolsa grifada é, realmente, diferente de qualquer outra experiência de compra. Naquela ocasião da compra na Louis Vuitton, eu testei diferentes tamanhos da Speedy, um dos modelos mais clássicos da marca, escolhendo com cuidado não só o tamanho mas também qual tipo de monograma eu preferia.

De lá pra cá, investi em outros modelos de bolsas grifadas, levando sempre em consideração a experiência de compra. Depois de decidir que quero investir em um modelo novo, eu passo meses estudando as opções que eu quero e observando as que cabem no meu orçamento; gasto mais um tempão pesquisando a história dos modelos e das marcas; quando já tô na loja, fico mais um bom tempo pesando a decisão. Eu acho que nunca vou esquecer – ou me cansar – da sensação de experimentar bolsas diferentes, em seus diferentes tamanhos, modelos, formas. Quando compro uma bolsa assim, eu considero um verdadeiro investimento, uma peça que eu usarei a vida inteira e que sempre será especial pra mim – e eu não me vejo investindo em uma peça que saia de uma máquina como se fosse um chocolate ou um pacote de biscoitos.

como eu me sinto quando compro um artigo de luxo

É por isso que eu não entendo e não consigo entender essa máquina recheada de it bags. Uma compra em uma máquina desse tipo descaracteriza completamente a experiência da compra de luxo. Eu imagino que, caso chegue o dia em que eu possa comprar uma bolsa da Hermès, por exemplo, eu nunca seria capaz de comprar uma Constance (modelo que chega a custar US$9 mil) através de uma máquina. É algo inconcebível pra mim. Ok, por enquanto é inconcebível que eu gaste essa quantia em uma bolsa, mas eu acredito num futuro melhor, e sonhar não custa nada. E eu sonho com o dia em que eu vou poder ter a experiência de comprar uma Hermès em uma das suas flagships maravilhosas, com tudo o que eu terei direito.

Carrie Bradshaw ❤

É por isso, também, que eu não entendo a compra de réplicas de marcas luxuosas. Do mesmo modo que as maquinetas, não faz o menor sentido pra mim. Eu acho preferível gastar o dinheiro em uma bolsa bacana de marcas como Schutz, Arezzo, Santa Lolla, e tantas outras, do que usar a mesma quantia pra comprar uma réplica. E ainda dá pra parcelar, gente. Uma vez eu li em algum lugar que, muito pior do que usar uma bolsa falsificada, é tentar ser uma imitação de você mesma.

réplicas

Pra mim, com a compra de uma bolsa de luxo, vem a história da marca junto. É como se eu agregasse valor trouxesse aquela história pro meu armário junto daquela bolsa sonhada, batalhada, planejada e, enfim, comprada. Todas as vezes foi assim, e eu quero que seja sempre assim. Pra mim, comprar uma bolsa de luxo não é a mesma coisa que comprar um Doritos.

wishlist: fotografia

Eu sou uma entusiasta da fotografia. Desde pequena, adorava fotografar, e gastava fortunas revelando filmes cheios de fotos perdidas. Desde o advento digital, já perdi a conta de quantas câmeras já comprei nessa vida, sempre em busca do clique perfeito. Sosseguei um pouquinho depois que comprei, há uns 3 anos, a minha DSLR da Nikon (modelo D3000). De lá pra cá, só comprei uma outra câmera da Nikon mesmo (a P7100), que é um pouco menor que a DSLR, mas que tem quase todos os recursos manuais da D3000 sem ser tão pesada quanto, e resolve minhas necessidades fotográficas em atividades e/ou viagens menores, ou quando não tenho muito espaço/disposição pra carregar a câmera ~grandona~.

Nesse meio tempo, também comprei uma Diana Mini e uma Instax. A Instax estragou com pouco mais de 4 meses de uso, e eu não sei o porquê. A preguiça de mandar pra assistência técnica é grande mais. A Diana eu tenho usado bem menos do que pensava, mas tô querendo aproveitá-la mais nesse futuro breve. Além dessas duas máquinas ~analógicas~, comprei as lentes 18-55mm e 55-200mm pra DSLR, bem como uma bolsa da própria Nikon pra carregá-la por aí com segurança.

E é porquê eu quero aproveitar mais os meus equipamentos de fotografia com mais opções, com mais conforto e com mais estilo que eu montei essa wishlist cheia de coisinhas bacanas relacionadas à fotografia.

banner fotografia

Pra começar, eu queria uma alça de câmera mais bonitinha. Uma, ou mais. Porque, né, bem que podia ser uma pra cada câmera em uso (hihihi)! A Mod tem várias opções super fofas.

Mod alças de câmera

Mais pertinho, a Farm também fez dois modelos bem fofos, e eu já tô querendo muito essa aqui de baixo:

leva máquina da Farm

Aproveitando o gancho da Diana Mini da foto aí de cima, preciso muito comprar um flash pra minha. É, eu sei, eu devia ter comprado o conjunto completo, mas fui burrinha nesse investimento. Ainda bem que tem a Lomography pra resolver esse meu probleminha!

Lomography flash Diana

Já pra DSLR, tem duas coisas que eu tô querendo/precisando muito: uma lente de 50mm, e mas um duo de bateria + carregador. Só Deus sabe o pânico que eu tenho de ficar sem bateria no meio de um dia de viagem, ou no meio de um passeio. Já tô postergando demais essa compra da bateria extra. A lente de 50mm virou objeto de desejo porque preciso de uma focal fixa, que não pese tanto quanto as outras, e garanta belas fotos.

bateria e carregador Nikon lente 50mm Nikon

E, comprando uma focal fixa de 55mm, eu poderei sonhar com um kit desses, à venda na Amazon. Eu acho que ia pirar muito na criatividade das fotos com acessórios pra fotos tipo wide, lentes de alta definição, controle remoto sem fio, kit de filtros, conjunto macro, filtros coloridos, e tantas coisas mais. Sem contar que ainda ia ter todos os apetrechos adequados pra limpeza.

Outra coisa bem útil são esses saquinhos pra guardar lentes, e são bem mais fofos do que os tradicionais pretinhos! Essas também disponíveis na Mod. Os meus favoritos foram esses três aqui de baixo:

cases lentes Mod

Também tô querendo muito uma bolsa bonitinha pra carregar a câmera. Na verdade, eu queria uma bolsa pra câmera que fosse bonitinha e menos óbvia, já que as tradicionais chamam muita atenção. No Ebay tem várias opções interessantes, e selecionei algumas que acho que caberiam a DSLR, a Diana, e a P7100. Na maior delas acho que dava pra guardar com folga a DSLR, mais duas lentes, e também baterias extras!

camera bags Ebay

Por último, mas não menos importante, duas câmeras que tô querendo muito comprar: uma Fisheye e uma Polaroid digital.

A Polaroid Z2300 tem 10mp e entrada pra cartão SD, com memória expansível até 32GB. Tem na Amazon, e eu tô me coçando pra comprar. Já a Fisheye virou sonho de consumo desde que eu vi esse modelo p&b lindo no site da Lomography:

fisheye

Enquanto eu não concretizo nenhuma comprinha dessa wishlist, vou sonhando com as peripécias fotográficas que todos estes novos apetrechos poderiam/poderão me proporcionar!

roupa com estampa de gibi: IRON MAN

Com a proximidade da estréia da sequência de Thor, já comecei a pensar num look adequado pra ocasião. Sim, há de se pensar no look que se usa pra pré-estréia ou estréia de um filme geek!!

Aí lembrei desse look que usei nesse ano, quando fui na pré-estréia de Homem de Ferro 3, e resolvi mostrar pra vocês aqui, servindo também de inspiração pra filmes futuros. Vingador por Vingador, o Homem de Ferro é o meu favorito, e eu comprei esse moletom na Forever21 em uma das minhas últimas viagens pros EUA. É lógico que ele tinha que ser usado na pré-estréia do filme, né.

Eu devo admitir que a lógica que guiou o look foi o conforto. Eu estava usando aparelho, e era todo um drama na minha vida pra me vestir sem parecer uma criança de 13 anos e ainda me manter fiel ao meu estilo. Tenhamos em mente também que era abril e, já que eu morro de frio no cinema, tinha que ficar super quentinha, é claro. O look geek preguiçoso foi inevitável.

IMG_5160

Mas ser preguiçoso não precisa ser largado! A esperança fashion é a última que morre. Então combinei a blusa de moletom do Homem de Ferro com legging de oncinha da Farm e botinha de cano curto da Converse. A legging de oncinha deixou a coisa menos tomboy e mais perua feminina! E, já que eu tava assumindo tudo de geek que há dentro de mim, me pareceu adequado usar os óculos de aro grosso ray Ban (o que foi ótimo, já que a sessão era de madrugada e eu já tinha usado lente o dia inteiro e meu olho tava cansado #dramas).

oi, eu sou a Letícia, e eu não sei tirar foto.

oi, eu sou a Letícia, e eu não sei tirar foto.

Dentro da sala de projeção, entrou em cena (hã? hã?) a parka da Cantão que é xodó do meu guarda roupa, e foi uma das minhas compras favoritas do outono/inverno 2013.

IMG_5163

ataque de palhacite.

Achei que, ao combinar a botinha com a bolsa, consegui chegar mais perto de atingir esse equilíbrio entre o geek e o fashion. A bolsa Louis Vuitton foi obviamente escolhida pra deixar tudo com jeitinho mais classy, e o batom vermelho (esse é o Ruby Woo, da MAC!) é aliado quase sempre certo dos óculos de aro grosso. Sem contar que um batom vermelho resolve questões de maquiagem com uma eficiência incrível, é um truque muito bom pra quem quer ficar biita sem gastar muito tempo na frente do espelho.

Dá pra ver como as peças conversam entre si e tudo acabou ficando harmonioso? Vou tentar repetir a dose pro look pra ver Thor essa semana!

wishlist: dia das crianças

Honestamente, eu acho que o “dia das crianças” deveria ser chamado “dia dos filhos”. Pensa bem: tem dia das mães, tem dia dos pais, tem dia dos avós, tem dia do amigo… mas não tem dia do filho! Tem só o tal “dia das crianças”. Aí quando a gente cresce, e ainda quer ganhar presente, porque, né, tem gente que tem a cara de pau de dizer: “mas você não é mais criança!”

Aqui em casa eu consegui resolver esse problema, e ganho presente até hoje. Os meus pais entenderam que o dia das crianças é o substituto imediato do dia do filho, e eu acho isso ótimo! Nem sempre o presente vem dentro de uma caixa de presentes – pode ser uma viagem, ou um dinheirinho a mais na conta, as possibilidades que eu aceito são infinitas! -, mas ele sempre existe.

E foi pensando nessas muitas possibilidades de presentes para a data que eu montei a wishlist de hoje, cheia de coisinhas bacanas pra agradar aos filhos geeks de todas as idades.

banner

Passeando pelo FredFlare.com eu quase fali só de olhar as mil coisas super bacanas que tem por lá. E bônus: tem muita coisa on sale em promoção (#osgeekpira)! Entre mil outras tranqueiras que me deixaram doida, selecionei essas daqui pra mostrar pra vocês: luminárias em formato de sorvete de casquinha, “canivete” multi USB, despertador de Lego Star Wars, extensão elétrica amarela em formato de raio, hub de USB em tulipas, e caixa de som pro iPhone que imita, literalmente, uma caixa de som.

FredFlare

Agora, se tem uma coisa que mexe com o meu coração é a combinação de duas palavrinhas mágicas: EBAY + FREE SHIPPING. E aproveitar essa mágica união pra comprar fontes pros smartphones é o tipo de coisa que me faz encher o carrinho lá no site e só pensar no estrago quando chega a fatura do cartão cheia de cobrança de IOF. Mas gente, fala sério, pagar entre US$0,99 e US$2,99 pra ter cabos coloridos?! É muito barato, Brasil.

carregadores iphone & samsung no ebay

Pras meninas, tem uma seleção de coisas bem legais na Via Mia! Que tal uma bolsa colorida que cabe o tablet e todas as tranqueiras que a gente gosta de carregar? E um duo de necessaires pra organizar a bagunça dentro da bolsa? De uns tempos pra cá, eu tenho tentado (veja bem, eu disse tentado) variar um pouquinho mais os calçados, ao invés de usar só All Star o tempo todo. Outro dia vi esse tênis de couro na vitrine e fiquei apaixonada por ele. Mas esse tênis jeans, que vem com 3 cadarços coloridos, tá passando na frente no meu coração (além do precinho ser mais camarada pra caber melhor no meu orçamento atual).

Via Mia

Pros rapazes, a Mr Cat sempre tem uns sapatênis maravilhosos. Acho que é um jeito bacana de usar sapatos bonitos and arrumados sem abrir mão do conforto!

Mr Cat

E, como pai e mãe adoram dar roupas pros filhos, também tem uma seleção de peças muito legais na Use Huck! Os preços variam entre R$29,00 e R$69,00 (ouch). Eu sempre piro nas camisetas de lá, com essas estampas engraçadinhas e uma malha bem gostosa de usar!

UseHuck

Eu acho que vou aproveitar a oportunidade e mandar esse post por e-mail pros meus pais. Vai que eles resolvem tirar daqui o meu presente, né? Eu não iria reclamar hehehehehe