Arquivo da tag: anéis

com jeito de 5 anos mais velha

O título deste post é a reprodução de uma das primeiras frases que hoje o meu amigo Aloisio falou pra mim. Assim como várias outras pessoas queridas e maravilhosas, ele protestou contra o fim desse blog, e é por causa de tantas manifestações de carinho, por causa de tanto incentivo, que eu decidi passar uma borracha na decisão de cancelar esse nosso espaço, e fazer o melhor possível pra mantê-lo sempre atualizado.

Na manhã de hoje, quando me fiz a pergunta “o que eu vou vestir?”, eu nem imaginava que ia acabar passando o dia quase todo na rua UFF. Quando deu tempo de almoçar, já era quase 15h, e eu tava com tanta fome que comi no Plaza mesmo, porque sabia que não ia aguentar esperar chegar em casa. E foi lá que o Aloisio fez a gentileza de fotografar o look que, segundo ele, me deixou com cara de 5 anos mais velha.

camisa jeans

Eu sou adepta do jeans e não nego. Pra não cair sempre na mesmice de usar calça jeans, de vez em quando eu escolho uma camisa jeans e combino com calça/short/saia colorida(o)! Acho que é uma opção bem legal pra manter o jeans no look, mas fugir do óbvio! Essa tem uma lavagem meio acid, e eu não consigo desistir dela, mesmo depois de alguns anos no meu armário!

calça burgundy

E já deu pra perceber que eu amo essa cor burgundy, né? Também deu pra ver que rolou um novo corte no cabelo? Tava ensaiando a aparada na juba há um tempo, mas tava com medo do resultado. Tomei coragem essa semana, e a Jô (beijo!) cortou fora uns 3 dedos do comprimento, mais um tantão de cabelo pra deixar repicado;  por enquanto tô gostando do resultado!

detalhes

Pros pés, escolhi o mocassim de oncinha, e tentei manter os acessórios todos seguindo as cores dessa padronagem.

IMG_5286

Aproveitei também pra buscar meu novo óculos de grau, que ficou pronto hoje. Eu tô amando demais essa armação nova, e quero mostrar logo pra todo mundo:

red eyeglasses

VERMELHO! ❤

  • Camisa jeans: Espaço Fashion
  • Calça burgundy: Farm
  • Cinto: herança da Mivó
  • Mocassim: Sollas
  • Bolsa: Zatchels
  • Pulseiras: Maria Filó, Farm, e Asos
  • Anéis: heranças da Mivó
  • Relógio: Casio
  • Óculos: Marc Jacobs

batucando samba com rock n roll

Tem sábados que são tranquilos demais, e tem sábados que são corridos demais – e acabam sendo incrivelmente divertidos. E ontem foi um desses sábados.

Há algumas semanas, comprei ingressos pra ir com meu amigão no show do Barão Vermelho, no Citibank Hall. Por diversos motivos, perdemos a chance de vê-los na Fundição Progresso, no Circo Voador, e até mesmo aqui em Niterói, nessa turnê “+1 Dose”. Eu já estava super triste por não ver um show do Barão nessa turnê comemorativa dos 30 anos do lançamento do 1º disco deles, quando foi anunciada “A Última Dose” no Citibank. Na mesma hora comprei o ingresso, é claro.

Estava com tudo planejado pra ir (lá) pra Barra em horário oportuno pra fazer um lanchinho antes do show com calma, e entrar no Citibank Hall com tempo suficiente pra ficar próximo o bastante do palco pra ver a minha banda favorita.

Só que as coisas planejadas demais, às vezes, não dão certo. E aí o meu amigão (beijo, best friend Príncipe Regente do Império das Capas Crivo Gabriel!), que trabalha com Carnaval, ficou sabendo às pressas que precisaria ir na quadra do Império Serrano ontem, lá(ááá) em Madureira (lá lá iá), pra feijoada da escola. Era uma coisa divertida, mas não deixava de ser um compromisso de trabalho. Diante disso, nós tínhamos duas opções: ou abríamos mão do show do Barão Vermelho, ou íamos pro Império Serrano e seguíamos de lá pro show.

É claro que nós escolhemos a segunda opção!

Mas aí todos os meus planos fashionísticos pro show foram por água abaixo. Eu precisava de uma roupa que fosse do samba pro rock n roll suavemente, contando com o apoio do super carro do Gabriel. Ou seja: eu precisava de dois looks em um, pra duas ocasiões razoavelmente diferentes entre si.

E aí toda a solução veio na minha cabeça muito rápido (ainda bem, porque eu precisei ficar pronta em menos de meia hora, já que eu estudei até o último segundo).

"fim de semana eu viro batuqueira, pego meu pandeiro, vou pra Madureira, pro meu glorioso Império Serrano, que vai ganhar e subir esse ano!"

“fim de semana eu viro batuqueira, pego meu pandeiro, vou pra Madureira, pro meu glorioso Império Serrano, que vai ganhar e subir esse ano!”

Sempre que a gente vai pro samba (seja em quadra de escola ou na Sapucaí), o All Star é companheiro certo. Pra mim não há nada mais confortável, e ele ainda confere uma proteção extra pros pés, que só querem sambar. Raramente eu opto por uma sandália rasteira, já que ela não protege tanto o pé contra pisões, eventuais cacos de vidro, etc.  Também gosto de ir de short, mas sempre uso uma meia-calça pra ficar mais segura e me divertir a vontade. A escolha da blusa foi pensada pro ambiente: o povo do samba, que é muito acolhedor (<3), é de muita fé, então não tinha uma opção melhor. No todo, ficou um look simples e bacana pra ocasião, me deixando livre pra aproveitar a tarde de samba.

Império Serrano 01

visão parcial da quadra do Império Serrano

Império Serrano 02

outra visão parcial da quadra, e o fim da feijoada

Quando a feijoada acabou, era hora de sair de Madureira (lá lá iá) rumo à Barra da Tijuca. O trajeto foi marcado pela comprovação de que é possível fazer milagre com um lápis de olho e um batom. A intenção era pegar um batom vermelhão, tipo Ruby Woo ou Russian Red, mas, na pressa, peguei o Lady Danger, também da MAC. No final das contas, achei que ele ficou bem legal!

o make feito no carro!

o make feito no carro! e tá na hora de cortar a franja.

E aí eu deixei o look do samba com uma carinha mais rock n roll com a jaqueta de couro, bota de cano curto com tachinhas, bolsa prateada e meia calça preta. Pois é, eu rasguei a meia-calça que eu tava usando no samba (foi a 3ª que eu rasguei nessa semana), e precisei trocar – daí optei por essa preta!

Poderia ter sido uma escolha óbvia demais, envolvendo couro e tachinhas pra um look de show de rock, mas acho que o vermelho da jaqueta mostrou que eu me esforcei – pelo menos um pouquinho – pra deixar tudo menos óbvio e com mais interessância (amo/sou neologismos).

momentos antes do show

eu tentei deixar meu cabelo com um ar mais bagunçadinho, tanto que prendi numa trança pro samba, mas não rolou o efeito que eu queria (#dramas). 

É claro que o carro foi o grande propiciador das “mudanças” do look, pois foi lá onde deixei guardadinhas a jaqueta, a bota e a bolsa enquanto curtia o samba. Ok, eu poderia ter ido pro show de All Star, porque, né, rola toda uma referência grunge quando se fala nesse tênis icônico, mas eu quis trocar pra deixar uma coisa um pouquinho mais elaborada.

As tachinhas do short também deram mais bossa nova e rock n roll ao look. E a blusa de malha ficou ali, como quem não quer nada, deixando as outras peças darem o verdadeiro tom ao look.

Barão Vermelho 01

O show foi maravilhoso. Eu já tinha visto os Barões em outras oportunidades – tanto na formação de “Barão Vermelho” como em shows solo ou de projetos paralelos, mas, sem dúvida nenhuma, esse foi o mais incrível. O setlist foi impecável, misturando hits à músicas “de disco”, e eu ouvi (e cantei junto!) praticamente todas as minhas canções favoritas desses 30 anos de carreira.

Barão Vermelho 02

Tirei fotos demais, e ficou difícil até de escolher algumas pra ilustrar o post. Com essas duas, todos os (meus) “Barões” estão representados!

Eu tava mesmo precisando de um sábado desses, bem divertido. Adorei ir pra Madureira (lá lá iá), e espero voltar no Império Serrano em breve. Gente acolhedora, quadra enooorme, e samba de primeira qualidade! Confirmei que Madureira é muito mais do que um lugar, é a capital do samba! E a vibe do show do Barão Vermelho foi sensacional, com presença de gente de 8 a 80 anos, e todo mundo dançava e cantava numa boa, curtindo aquela última apresentação no Rio dessa turnê comemorativa.

Valeu, Barão! Tomara que vocês não demorem muito pra fazer uma outra reunião espetacular dessas. A gente fica esperando!

pós-samba-pré-rock

pós-samba-pré-rock

E muito obrigada ao Gabriel, parceiro e amigo querido, que já viajou por tantas aventuras comigo e ainda há tantas por viajar! (#viniciusdemoraesinspired)

  • Blusa: Use Huck
  • Short: Maria Filó
  • Tênis: Converse All Star
  • Jaqueta: Zara
  • Cinto: Farm
  • Bolsa: Belier
  • Bota: 284 para C&A

E esse post ficou enorme O: pudera, pra contar tanta história de um sábado tão bacana!

na correria

Contei ontem lá na nossa página do Facebook (já curtiu?) que a quinta e a sexta foram dias corridos demais. Na quinta, não rolou nem de registrar o que usei pra ir pra aula lá no mestrado, porque acordei bem atrasada e fiquei o dia inteiro por conta de atividades INESTianas. Quando cheguei em casa, só queria banho e cama. Ontem eu só registrei o que usei pra resolver um monte de pindaíbas pra postar no meu instagram, e considerei não postar aqui (tanto que falei lá na página do Facebook que não tinha conseguido fotografar o look pra postar aqui) já que é foto tirada no espelho, e eu não quero avacalhar o blog.

Mas eu achei que o look ficou tão fofo, e a foto foi pro instagram, foi pro dujour, e tá aqui de todo jeito, então eu resolvi mostrar pra vocês mesmo assim. Então, por favor, ignorem a cara de pateta e pensem que a minha intenção é a melhor possível ❤

de aparelho

Precisei escolher muito rápido uma roupa pra sair porque eu acordei meio atrasada, e a roupa tinha que ser confortável o suficiente pra que eu aguentasse boa parte do meu dia na rua, e também adequada às oscilações de temperatura que são características da estação.

A solução? Camisa de manga + short + combat boots coturno!

xadrez + vinho

Eu sou muito apegada a esse coturno e ele já me acompanha há alguns anos. A camisa também já mora no meu armário há algumas temporadas. E esse short foi uma aquisição recente, mas tô tão apaixonada que já sinto que ele virou coringa!

detalhes

A foto dos detalhes não ficou assim uma Brastemp com uma qualidade muito boa, mas dá pra ver que o cinto é de caveirinhas, e que rolou um mix de pulseiras com esse relógio que vocês já conhecem.

Entre todas as atividades, a prioritária é fechar um paper que preciso entregar essa semana. Corre, Letícia, corre!

  • Camisa e cinto: Farm
  • Short: Maria Filó
  • Coturno: Espaço Fashion para C&A
  • Relógio: Casio
  • Pulseiras: Urban Outfitters, Farm, Maria Filó, e da lojinha do Palace of Holyroodhouse

na festa de casamento

Como tinha comentado rapidinho no post anterior, ontem eu tinha uma festa de casamento pra ir. Sabe aquelas festas onde você encontra todas aquelas milhões de pessoas da sua enorme família? Então. O casamento de ontem foi assim. E quem me segue no instagram acompanhou em tempo real alguns dos cliques da noite – que contou com o Cordão do Bola Preta pra deixar tudo ainda mais animado.

Normalmente, quando acontece algum desses eventos, eu opto por vestidos com shape de princesa, com cintura bem marcada e saias bem volumosas, e sapatilhas. Eu detesto usar salto alto num grau tão alto que tenho uma coleção de sapatilhas especiais só pra festas e festanças (eu detesto deixar de aproveitar esses eventos porque fiquei com dor no pé). Mas tudo isso dá aquele arzinho muito muito jovem pro look.

Então ontem eu tive que sair da minha zona de conforto pra fazer do aparelho apenas um coadjuvante no meio de um look mais condizente com a minha idade avançada.

Tirei do armário essa camisa com gola de pérolas, e fiz (muito rapidinho, porque é claro que eu me enrolei pra me arrumar e já ia ficando atrasada pra cerimônia) um coque donut com um pouquinho de topete, já que o cabelo solto não ia dar o devido destaque pra essa peça. Combinei com essa saia de renda verde militar, sapato e clutch no mesmo tom de marrom, e alguns anéis pra deixar as mãos mais “ricas”.

Foi providencial a camisa de manga comprida pra uma noite de muita chuva e ventinho fresquinho. Chovia tanto que eu queria mesmo era calçar galochas! (eu e minhas ideias erradas)

Queria ter fotografado a maquiagem e o coque (e todos os mil grampos envolvidos pra segurar o cabelo a noite toda) em detalhes, mas não deu. A escolha pelo batom bem escuro foi totalmente na contramão do que eu obviamente escolheria – afinal, eu não queria dar destaque pro aparelho, certo?

Errado!

Ok, a proposta inicial era essa mesmo, de deixar o aparelho coadjuvante no look, e tentar não dar destaque nenhum pra ele. Mas, sabe como é, a gente começa a brincar de maquiagem e acaba indo por caminhos que nem imaginava que poderiam dar certo. Eu acabei preferindo fazer um make de olho esfumado combinado com batom escuro, como se dissesse “é, é isso mesmo, eu tô de aparelho, tô curtindo isso, e não tenho vergonha de destacá-lo!”. Resolvi que se eu ia encarar esse “desafio” de mostrar pra todo mundo meu aparelho numa festa logo na primeira semana, devia fazer isso com orgulho e da melhor forma possível.

Quando as mangas da camisa deixavam, os outros acessórios também apareciam: mix de pulseiras (inclusive uma de spikes com aplicações de brilhantes!) e esse relógio, um xodó pra ocasiões especiais.

com cara de mamona assim que cheguei na festa d: 

O aparelho já não tá mais me impedindo de comer muita coisa, mas ainda tô tendo alguns cuidados. Não aguentava morder os docinhos, então comi um sem número de bem casados!!

De aparelho ou não, é sempre bom rever a família e celebrar o amor!

  • Camisa: Forever 21
  • Saia: Espaço Fashion
  • Sapato: Ferni
  • Clutch: do armário da mamãe
  • Pulseiras: Life by Vivara, Espaço Fashion, e acervo de família
  • Relógio: Fossil
  • Anéis: Farm (anel de coelho), e acervo de família
  • Brincos: do armário da mamãe
  • Batom: MAC Viva Glam III