Arquivo do dia: outubro 1, 2013

não há limites para a gordice

eu vou fazer um post muito rápido e muito pequeno (até porque a bateria do MacBook tá acabando e eu tô com preguiça de ir buscar a fonte), porém necessário.

eis que, buscando fotos do meu amor ❤ criança, eu descobri essa foto em um dos álbuns da minha cunhada:

gordice

gordice

poderia ser ~apenas~ mais uma foto minha fazendo gordice – acho que é o que mais existe por aí nessa vida – mas, infelizmente, essa não é uma foto qualquer.

veja bem, eu estava no Palácio do Itamaraty, na formatura da turma de 2010 do Instituto Rio Branco (aka turma do meu amor), e este momento foi eternizado pra sempre com esta foto:

repetindo: gordice

é meio foda pensar que para sempre existirá um registro meu fazendo gordice em pleno Palácio do Itamaraty. é quase um atestado da minha gordice. vamos reparar bem na minha concentração no que quer que seja que eu estava comendo, e nas minhas bochechas infladas de comida que já estava na boca, e na minha preparação para já colocar mais comida na boca.

quer dizer. foda.

se bobear, podem até usar essa foto contra mim na cerimônia de posse quando eu passar pro IRBr. já pensou? a Dilma tá lá, linda, e de repente projetam essa imagem na parede. e na formatura? tipo, sei lá, o Lula me entregando a medalha por ter sido a melhor aluna da turma (cês tão vendo que eu tô sonhando pacas nesse parágrafo né?) e aí PÁ tá lá essa foto projetada na parede.

ou seja: vergonha.

eu devia pensar mais nessa vergonha posterior que eu posso acabar sentindo quando eu fico comendo sem parar por essa vida.

sobre séries: Marvel’s Agents of S.H.I.E.L.D.

Quando eu soube que a Marvel ia lançar a sua primeira série para TV, o meu coração bateu mais forte. Eu acho que já contei aqui que eu adoro os Vingadores, e o universo construído para que a história se desenvolva. Logicamente, a possibilidade de ver o dia a dia dos Agents of S.H.I.E.L.D. (pra quem não sabe: Strategic Homeland Intervention, Enforcement and Logistics Division, ou Divisão de Intervenção Interna Estratégica de Logística e Aplicação da Lei) foi motivo pra me deixar mais do que feliz e ansiosa com a novidade.

marvel's agents of SHIELD

É lógico que não dá pra esperar um filme de super heróis da Marvel quando estamos assistindo a uma série de TV, mas a diversão é, sim, garantida. A história, situada no pós-The Avengers (ou seja, depois daquela batalha toda em NYC e destruição e caos e tal), funciona como uma sequel – ou seria uma prequel pro próximo filme?

Há uma boa dose de humor no seriado, conduzido por Joss Whedon (produtor do filme The Avengers). Whedon produz, dirige e escreve (junto de Jed Whedon e Maurissa Tancharoen) a primeira temporada da série, e imprime aos episódios um estilo já conhecido por aqueles que acompanham as sagas dos Vingadores nos filmes da Marvel.

S.H.I.E.L.D. cast

da esquerda para direita: Simmons (Elizabeth Henstridge), Fitz (Iain De Caestecker), May (Ming-Na Wen), Coulson (Clark Gregg), Ward (Brett Dalton), Skye (Chloe Bennet).

Boas sequências de ação são combinadas a efeitos especiais bons o suficiente pra agradar o público que vê TV. O elenco foi bem escolhido e me parece entregar um bom trabalho nos seus papéis – menos a Skye, que me parece meio sonsa, meio monga, mas tô dando uma chance pra atriz, e quem sabe mudar o meu conceito sobre ela.

Coulson

A surpresa de ver que Phil Coulson is not dead, com Clark Gregg e seu humor afiado dando um tom todo especial pro personagem, foi encabeçada ao ver Colbie Hill linda maravilhosa musa levando Maria Hill também pra telinha.

Maria Hill

Sem dúvida, a série deixa fãs e entusiastas bem felizes com a possibilidade de imersão semanal no universo das HQs levado às telinhas com qualidade e sabedoria. Vamos combinar: Marvel’s Agents of S.H.I.E.L.D. é alegria semanal pros geeks de plantão.