Arquivo do mês: fevereiro 2013

esse é só mais um post

tem mais de meia hora que eu tô com vontade de escrever, mas sem saber muito bem o que falar. e por que raios eu não fechei a aba, desliguei o computador, e fui fazer outra coisa? sei lá. talvez a desculpa mais estúpida seja a de carregar o iPod shuffle (batizado recentemente de Nikolai Ivanovich Bukharin, pra combinar com a cor vermelha dele), ou mesmo de aproveitar enquanto o MacBook tá carregando pra conferir as novas.

enfim, não sei. só sei que a vontade de escrever foi maior do que a falta de assunto.

eu poderia contar o que fiz nos últimos dias, ou o que fiz só no dia de hoje. no sábado passado, o meu amor voltou pro Zimbábue pra continuar a missão dele. dizer que eu chorei muito e que eu já não aguento de saudade é um understatement. no domingo, tive uma enxaqueca horrível. na segunda, um pouco de pressão baixa. hoje, arrastei a mamãe pro cinema comigo, e assistimos “Silver Linings Playbook“.

sobre o filme: gostei o suficiente pra ficar curiosa pra ler o livro. aí eu lembrei que eu quero ler também “The Perks of Being a Wallflower“, que eu ainda nem comprei. e logo lembrei que eu ainda tenho um monte de coisas pra ler do mestrado, e mais alguns livros “extracurriculares” que eu ainda não consegui terminar.

também acabei de lembrar que ainda não batizei esse MacBook, e nem o iPad mini. isso é um problema sério. preciso cuidar logo disso.

fevereiro tá acabando e, com o seu fim, chegarão mais uns dias de mini férias, antes do início das aulas do mestrado. só que nessas mini férias eu preciso tomar vergonha na cara e escrever bastante pra minha dissertação. ai Jesus.

chegamos pro cinema em cima da hora e o meu plano era passar na C&A depois do filme pra conferir a collection da 284, lançada hoje. só que deu uma chuva tão terrível que destruiu sabe Deus o que lá no Plaza que por pouco não impediu que assistíssemos ao filme, e, quando saímos, tava tudo fechado. parecia meia noite no shopping, depois daquelas sessões tardias de filmes que as vezes a gente gosta de assistir, mas era só 18h40 da noite! nem o banheiro estava aberto, e tivemos que encarar um trânsito horrível na volta pra casa – enquanto controlava uma vontade incontrolável de fazer pipi pra conseguir dirigir o Neville.

por um lado, o dia de hoje foi bom pra ser mais um passo em direção ao controle da ansiedade. além disso, eu já comprei tanto nos últimos dias que deveria tomar vergonha na cara e não comprar mais nada até março. he he he!

ah! já ia esquecendo! depois de 3 anos, voltei a Búzios! antes do chaveirinho ir embora, nós demos uma escapadinha até Búzios e curtimos alguns poucos dias de sol e alegria pertinho do mar. ele, que nunca tinha ido lá, adorou. eu, que estava com saudade, mas não sabia como reagiria ao voltar lá sem a Mivó, senti que consigo aproveitar Búzios do lado de quem eu amo, mas sem forçar a barra – por exemplo, não dá pra ficar mais na Pousada dos Gravatás sem a Mivó, mas dá pra ir na praia de Geribá. dá pra entender?

acho que minha vontade de escrever tá passando. vai ver que é porque eu escrevi um monte de coisa, sem querer, querendo.

histórias de um carnaval

seria muito clichê começar esse post dizendo que “todo carnaval tem seu fim”. mas, é, acabou mais um carnaval! e que carnaval!!!

começamos a folia na própria sexta feira. depois de um dia de acidentes e contratempos, muitas dúvidas se conseguiria ir pra Sapucaí ou não, se ia desfilar ou não, deu tudo certo! junto da família Haddad, assisti ao primeiro dia de desfiles da Série A, e desfilei num dos carros alegóricos da G.R.E.S. Alegria da Zona Sul! vestida de borboleta, pulei, sambei e cantei muito por aquela Avenida.

Sheik, Arlequim, e Borboleta!

com o príncipe/best friend e com o comparsa assim que vestimos as fantasias!

carro alegóricono carro alegórico

carro alegórico

no dia seguinte (ou seria mais tarde no mesmo dia? fui dormir pra lá das 8 da manhã…), fui buscar o Felipe no aeroporto de noite ❤ nem preciso dizer que já estava morrendo de saudades dele, né?! então. saímos do aeroporto direto pra um bar na Av Atlântica pra encontrar os amiguinhos bacanas dele. batemos papinho enquanto o sono permitiu.

no domingo e na segunda, fomos pra Sapucaí! é claro! sambamos e nos divertimos muito. foi maravilhoso voltar lá com ele, lá onde tudo “começou”. foi bom estar de novo na passarela do samba com o meu chaveirinho, que agora é também meu amor. mais escolas de samba lindas, mais cervejinha, mais sorvete, e mais amor!

diga, espelho meu: se há na Avenida alguém mais feliz que eu?

na terça o Felipe tava meio mareado de gripe, e eu também estava morta de cansaço. mesmo assim, fomos até a Lagoa encontrar os amigos dele de novo. mas eles quiseram ir pra um bloco, e nós não aguentávamos. voltamos pra casa e fomos bater ponto no Botequim, porque faz um bem danado.

na quarta feira, quase fiquei sem voz de tanto gritar quando, ao final da apuração, foi anunciada a Vila Isabel como campeã do carnaval 2013. soltei um grito que ficou preso por um ano na minha garganta! a Vila, que deveria ter sido a campeã do carnaval 2012, fez um desfile maravilhoso também em 2013, e não teve como não ganhar o título.

durante o desfile da Vila Isabel, a última escola a cruzar a Sapucaí no segundo dia de desfiles do grupo especial (ou seja: já era terça de manhã), eu pulei, dancei, gritei, cantei do início ao fim. amo o samba que foi escolhido pra esse ano, e, do meu jeitinho, tentei dar força pra cada componente que passava na minha frente, vestindo as cores de um “arraiá” “pra lá de bom” que passou na Sapucaí pra fechar o carnaval. foi bom demais ver a escola ser seguida por uma multidão de gente que, aos gritos, anunciava que ela já saía da Sapucaí campeã.

o carnaval acabou, mas ano que vem tem mais. o carnaval acaba, mas o samba não acaba!

looks reais do dia a dia em Orlando

esse post é inspirado pelo post do Garotas Estúpidas, porque eu sou enxerida mesmo, e quero dar pitaco em tudo. e também foi uma boa desculpa esfarrapada pra falar um pouquinho mais de Disney, enquanto não me jogo de vez no carnaval (hoje tem!).

é também uma boa oportunidade de prestar mais um serviço de utilidade pública, combinado aos dois posts que publiquei lá no Viaje Sim! (que vocês podem ver aqui e aqui), pra quem por ventura for pra Disney e não tiver a menor ideia do que levar na mala pra andar confortável e curtir ao máximo os parques!

(vale lembrar que, enquanto guia, a minha cartela de cores fica sempre limitada ao verde + preto + cinza + branco, que são as cores da Point Travel. a camisa pólo branca que dá as caras no look é o uniforme da Point.)

a roupa que eu mais usei nessa última temporada em Orlando foi a combinação suéter térmico + calça legging (com uma calça térmica por baixo) + casaco térmico/corta-vento + botta UGG.

casaco Columbia, bolsa Disney, bota UGG, legging Shop 126, óculos Carrera

casaco Columbia, legging Shop 126, bota UGG

um dia de frio médio foi encarado com suéter + jaqueta de couro + calça jeans + All Star:

calça jeans Lucky Brand + suéter Hollister + jaqueta TopShop + bolsa Prada + tênis Converse All Star

dias ensolarados e sem vento só precisavam de um casaquinho mais leve pra manter a temperatura sob controle:

jaqueta Farm Adidas, calça jeans Lucky Brand, tênis Converse All Star, óculos American Eagle Outfitters

moletom e bolsa Disney, calça jeans Lucky Brand, tênis Converse All Star, óculos American Eagle Outfitters

como dá pra ver, o jeans e o All Star são as vedetes dos meus looks! e não só nessa última temporada, mas também em todas as outras vezes em que fui em janeiro. a calça legging também é muito parceira. já rolou também short jeans + meia calça (fio 80, por favor, porque eu sou friorenta e não gosto mesmo de sofrer de frio!), e também touquinhas e cachecóis fofos (lightweight ou pesados!).

tenho sempre na bolsa um arquinho ou uma faixa, e também muitos grampinhos e elásticos pra domar os fios rebeldes que adoram voar (e se embolar) nas montanhas russas.

o sol em Orlando é mesmo forte, e o protetor solar e protetor labial são indispensáveis. eu gosto do protetor solar da Neutrogena, e, pros lábios, Carmex ❤

eu não gosto de abusar muito de acessórios pra ir pros parques não. já perdi umas 3 pulseiras em Orlando, e, por isso, hoje me limito a brincos pequenos, relógio, um colarzinho (e meu escapulário, é claro), e a minha pulseira inseparável (que vai merecer um post só dela aqui em breve).

claro que eu estou esquecendo de alguma coisa, mas o básico já está aqui. naturalmente que tenho um número sem fim de leitores a menos do que o Garotas Estúpidas, por exemplo, mas esses looks que postei aqui – podem acreditar! – estão bem mais reais do que (por exemplo) botas de couro (furada! furada! furada detected!) pra andar o dia inteiro nos parques lindos e maravilhosos de Orlando.

ps: eu não sou contra as escolhas das roupas das blogueiras famosas e ricas pros parques. só quis mostrar o que a gente costuma usar de verdade quando está lá, o que mais vemos as pessoas usando, e o que traz mais conforto e segurança pra brincar!

notícias do mundo de lá de quem já está aqui

voltei, Brasil!

depois de praticamente um mês e meio fora de casa, acho que vou sossegar nessas terras um pouquinho.

essa viagem pra Orlando foi muito bacana, mas deu trabalho! e não foi pouco trabalho não!

por conta do mestrado (e da greve), demorei uns 2 meses pra conseguir de fato a liberação dos profs pra viajar, e, de lá, tive que enviar três trabalhos. os trabalhos estavam prontos, já que tinha feito tudo no período em que estava na África, e arrematado nos 3 dias e meio que fiquei em casa entre Zimbabwe-EUA. um dos trabalhos estava com uma introdução medonha, e eu só me dei conta disso na hora de mandar por email pro professor. ainda bem que me sobrava uns 20min antes de ir pro parque do dia e consegui escrever uma introdução ok. posso imaginar a cara desse professor lendo aquela introdução e depois o restante do trabalho…

o grupo foi bacana, mas não foi bacana o suficiente pra me deixar com vontade de continuar sendo guia. eu finalmente percebi que tá mesmo na hora de parar de brincar de guia. eu preciso mesmo focar no que eu quero de verdade pra minha vida. já era hora.

isso não significa que eu nunca mais vá voltar pra Orlando. isso está fora de cogitação! eu quero muito voltar muitas vezes pra lá, só não mais como guia. de agora em diante, quero só curtir e não ser responsável por mais ninguém além de mim mesma. quero escolher os brinquedos em que quero ir, quais brinquedos quero repetir; quero poder ignorar completamente aqueles brinquedos dos quais já cansei, ou os que sempre detestei.

fiz a minha despedida de guia, e aposentei a bandeirinha. de agora em diante, esses dias ficarão somente na memória. os tempos de guia serão memórias de um tempo feliz mas que precisou ter seu fim. agora é foco na tarefa e olho na missão!

as malas chegaram cheias – de histórias e de achados – e assim continuam mesmo 2 dias depois de ter “desembarcado” em casa. acontece que, enquanto fiquei fora,  meus pais decidiram reformar um dos banheiros daqui de casa, o que também resultou em reforma dos quartos e mudanças. a obra deveria ter terminado antes da minha chegada, mas é claro que atrasou. os gloriosos trabalhadores que estão aqui juram juradinho que terminam amanhã. Deus queira que sim. esse cheiro de cimento e de tinta não me faz nada bem. e a casa está uma bagunça sem fim!

sem contar que eu quero logo abrir minhas malas e tirar delas todas as tranqueiras (incríveis ou não) que eu comprei, pra mostrar pros meus pais e ver aquela cara de não-acredito-que-você-comprou-isso que só eles dois sabem fazer.

e o carnaval tá chegando! e isso é super motivo pra ficar feliz! carnaval é muito bacana! a UFF vai parar por uma semana, o que significa que, depois da próxima quinta, eu tô livre pra curtir a folia da melhor maneira possível. mais sobre isso num próximo post. sem spoilers!