Arquivo do dia: julho 15, 2012

no Reino Unido: semana 02

Um pouco mais adaptada (#soquenao), a segunda semana foi menos estressante (#soquenao).

Na segunda feira, depois da aula, dei um pulo na livraria Waterstone’s da Trafalgar Square (um dos lugares de Londres pelo qual, eu nao sei porquê, eu mais passo), e fiquei enlouquecida com a quantidade de livros sobre história, história militar, e política internacional. Eu poderia ter ficado lá horas e horas e horas, mas precisava comer, e tambem chegar em “casa” numa hora razoável pra produzir academicamente alguma coisa apresentável. Jantei no restaurante Prezzo, um italiano bacana e honesto, e consegui enfim começar a escrever alguma coisa com substância.

Terça feira a aula acabou um pouco mais cedo do que o normal, então fui até Wimbledon. Eita lugarzinho longe. Eita tempinho ruim. Mas valeu a visita. Mesmo tendo que comer um sanduíche no trem, de tanta fome. Mesmo com a chuva; até porque foi porque choveu que, na volta, de dentro do trem, eu vi um arco íris. E isso é uma das poucas coisas na vida que não se vê toda hora, e que faz a gente ficar grato por ter algumas oportunidades únicas e simples assim.

Na quarta, foi dia de teatro: depois de jantar no The Cambridge, um verdadeiro pub inglês (e finalmente comer fish n’ chips), assisti Singin’ in the Rain. Que espetáculo! Até chuva (que molha umas 5 fileiras inteiras da platéia) tem! Fiquei emocionada. E, claro, quando saí do teatro, estava chovendo; só nao fiquei mais feliz com essa coincidência porque não foi tão bacana ficar esperando por um táxi no frio por 20 minutos. A saída do teatro em Shaftesbury Ave é uma coisa bem confusa! Todas as peças acabam mais ou menos na mesma hora, então todo mundo quer um táxi, ou chegar à estação de underground mais próxima, essas coisas. Complicado.

Na quinta, depois de terminar (ufa!) o ensaio que preciso entregar aqui nessa semana que logo se inicia (a última de aulas!), tivemos uma girls night out no The Wellington. Comi mais fish n’ chips, porque é bom demais, mas voltei cedo pra casa, porque sexta era dia de day trip.

Ah, sexta, dia de day trip! Eu estava tão animada pra visitar Oxford e o Castelo de Windsor! Pena que foi bem decepcionante. Achei que fôssemos passar muito mais tempo em Oxford, mas foi bastante corrido. O Castelo de Windsor é bacana, mas eu espirrei muito. Enfim. Faz parte.

Ontem, sábado, resolvi tomar meu rumo e fui sozinha pra Notting Hill. Tava chovendo, mas quem liga? É um lugarzinho muito simpático mesmo. Fiquei doida com a feirinha! Comprei várias coisinhas bacanas, mas comprei também A COISA MAIS BACANA DE TODAS: uma máquina fotografica FED-4, made in USSR! To apaixonada. Quero logo sair com ela por aí fotografando o mundo através de lentes verdadeiramente socialistas! Depois de Notting Hill, estudei um pouco e, quando deu a hora, rumei pra Paddington: fui assistir a mais um musical — Wicked! Que maravilha! Uma superprodução. Foi incrível! Antes do teatro, jantei no Prezzo mais proximo de lá: comi dois pratos diferentes (uma invenção genial pros gordos que não conseguem decidir por um prato só). Ao chegar em casa do teatro, a lâmpada do quarto estava queimada.

Hoje acordei cedo e a primeira coisa que fiz foi comunicar a recepção que a lâmpada do quarto estava queimada; me disseram que so vão trocar amanhã. Resultado: só posso escrever/estudar enquanto houver luz do dia (a sorte é que tem anoitecido razoavelmente tarde). Enfim… de volta às coisas boas: de manhã, fui ao Victoria & Albert Museum (aka V&A). Passei a manhã lá, até que deu a hora de encontrar os coleguinhas com os quais farei a apresentação sobre nuclear deterrence na terça feira próxima. Depois de discutirmos um pouco, e almoçarmos juntos, dei um pulo na National Gallery: um lugar bem bacana, enorme, onde pude me perder do jeito que gosto. Mas, se alguem me perguntar, vou ser obrigada a dizer a verdade: que gostei mais do V&A…

Amanhã começa a última semana da summer school. Ainda há muito por fazer, e muita Londres pra ver. Eu só espero que eu pare de comer tanto (sim, eu estou comendo muito, muito mais do que eu pensava), e espero que de tempo de fazer tudo… E, bem, se parasse de chover um pouquinho, eu também não ia reclamar!