dose dupla de Adam Levine + o aniversariante do dia

hoje é aniversário do Dave Grohl, o cara mais irado do universo, mas o Maroon 5 zerou a internet com o clipe do novo single do álbum “V”. a música escolhida – Sugar – ganhou o clipe mais fofo e surpreendente possível, e eu tô aqui há um tempão emocionadíssima com as imagens e pensando qual seria a minha reação se acontecesse uma coisa dessas comigo:

se foi tudo armado ou não, pouco me importa. a simples ideia do Maroon 5 invadindo um casamento pra tocar de surpresa já me deixou toda emotiva e imaginativa. acho incrível quando uma música que eu curto ganha um clipe legal assim! amei, amei, amei! (principalmente depois do clipe de “Animals”, que é uma música que eu adoro, mas não suporto ver o clipe!)

aí em seguida eu acabei achando esse vídeo do Adam no Jimmy Fallon e morri de amores mais ainda, além de morrer de rir:

e, na onda da fofura, pro Dave não ficar triste nem com ciúmes, a minha música querida na minha versão favorita <3

pompeii e suas versões bacaninhas

Se teve uma música que eu ouvi muito em 2014, e que me empolgou todas as vezes que ouvi, foi essa: Pompeii, da banda Bastille. Gostei da batida, gostei da letra. Mesmo quando tô ouvindo o CD da banda, é essa música que mais me empolga, é a que fica no repeat mais vezes.

Nos últimos dias, acabei ouvindo duas versões da música que curti bastante, então resolvi guardar aqui!

A primeira foi cantada no The Voice pelos Top 20 na final do programa. O vídeo não tá muito bom, mas foi o único que achei ):

A segunda foi essa versão de GLEE! Tinha muito tempo que não empolgava de baixar uma versão deles, parei mesmo de acompanhar a série da 3ª pra 4ª temporada… Mas a versão deles pra essa música ficou muito bacana!

E é isso, gentes. Se eu achar alguma outra, atualizo o post. Ou então deixa nos comentários aí! (;

a dificuldade de encontrar boas roupas

Estou exausta. Há dias – ou melhor, há quase um mês, estou em uma busca incessante por boas roupas, e não encontro. Por conta do acompanhamento nutricional (tô devendo post! Eu sei!), emagreci 8kg e meu corpo mudou muito nos últimos meses, então o que me servia até pouco tempo atrás está dançando no meu corpo e todas a grande maioria das minhas roupas parecem que são emprestadas. Exemplo: uma calça jeans que minha mãe me deu no início de novembro já está IMENSA pra mim. E olha que já tentei fazer ela encolher lavando várias vezes.

Enfim. Por conta disso, eu preciso de roupas novas. É precisar mesmo, porque nada me serve bem. Diminuir roupas não é comigo, tenho horror até de dar bainha, sofria com cada calça jeans que tinha que dar bainha antes de adotar as skinnys pra minha vida (amor eterno!). Não gosto de costureira, não gosto de conserto. Gosto de roupa que sai da loja pronta pra usar. Saias e vestidos longos? Quase nunca uso. Comprei uma no Zimbábue que não dei bainha até hoje. Tá no armário. Souvenir.

Dezembro é um mês cheio de comemorações. Já começa com o meu aniversário, depois vem happy hour disso, encontrinho daquilo, aí já é Natal, ano novo, e verão, calor, inferno. Lembro que liguei lá de Brasília pra mamãe na semana do meu aniversário e falei “mãe, não tem roupa. Não tem roupa nas lojas que valha a pena comprar. Não sei o que vou usar no meu aniversário.” Se aniversário pra mim já é Ano Novo, e eu faço questão de usar a roupa toda nova, que dirá depois de perder tanto peso como perdi. A salvação do aniversário foi uma blusa de seda (100%! raridade!) que achei na Maria Filó, combinada com calça jeans da Zara (que já está grande).

Aí cheguei semana passada em Niterói e vi que não tinha roupa nem pra passar o Natal. A princípio, eu ia passar de pijama mesmo (que também tá grande, mas qualquer coisa vale pra ficar confortável em casa), mas acabou que vamos viajar. A solução: ir às compras. Ou tentar ir às compras.

Impressionante como as lojas estão com todas as roupas iguais. Todas. Uma ou outra com uma coisinha um pouquinho diferente, mas aí não tem tamanho, ou é de material sintético, ou veste mal, ou tudo isso junto. Tudo tem recortes, tudo tem transparência, tudo é cropped, tudo é com “rabo de peixe”, tudo tem renda. Tudo é feito de material sintético. É um festival de 100% poliéster e 100% viscose por tudo quanto é arara. E os preços todos lá no alto.

Quando encontrava alguma coisa que daria pra usar, nada veste bem. Nem mesmo em uma das lojas que mais comprei nos últimos tempos consigo encontrar roupas pra mim. Até considerei comprar um vestido longo (55% linho 45% viscose) e dar bainha pro ano novo; ficou imenso, quase cabia outra de mim ali dentro.

Onde estão as fibras naturais, meu Deus? Tô cansada de ler tanta etiqueta de roupa escrito 100% poliéster e 100% viscose. Rayon então… E onde está o preço justo pelas roupas? Tem roupa de 3 mil reais de material sintético. Juro. É coisa que não dá pra entender.

E os preços estão afastando os consumidores. A grande maioria das lojas está vazia. Os/as vendedores/as ficam ENLOUQUECIDOS quando entra um potencial comprador na loja. Querem te vender a roupa que não veste bem com preço abusivo, querem te vender tudo de qualquer jeito. Eu sei que não tá fácil pra ninguém, mas não sou eu que vou deixar o suado dinheirinho da minha mãe numa loja que não me vende uma coisa que vale o preço que tá na etiqueta.

Juro que nunca fui cri cri pra compras. Alguns diriam até que sou (ou já fui?!) shopaholic. Meu lado Carrie Bradshaw grita: gosto de ver meu dinheiro no meu guarda roupas. Gosto mesmo. Mas como comprar roupas quando eu não uso cropped, detesto transparências, rabo de peixe não me favorece? Saia midi? Pregueada? Não tenho altura e nem corpo pra isso.

Essa busca por roupas boas e boas roupas cansa. Cansa muito. Chegou um momento hoje que eu simplesmente desisti. Não quis ver mais nada. Desânimo total.

Desde quinta, entrando em todas as lojas, consegui achar um único vestido (100% poliéster, mas não tem muito pra onde correr) que me vestiu razoavelmente bem. Tô entrando em loja que comprei a vida inteira e em loja que nunca comprei, e até mesmo já torci o nariz. Ainda me resta um dia de peregrinação pra tentar achar mais um. Isso porque ainda não achei roupa pro ano novo. Mas essa busca vou deixar pra última semana do ano, em Brasília mesmo.

Quem me dera ter um armário todinho de roupas em fibras naturais, com peças de excelente caimento e que me façam me sentir sempre bem vestida. Um dia, se Deus quiser, eu realizo esse sonho.

cabelo: cortar e doar!

Quem me conhece e/ou acompanha o blog há um tempinho sabe que eu tenho tinha muita vontade de cortar meu cabelo mais curto, mas o apego era muito grande e eu não conseguia largar os fios mais longos. Até tentava tirar 4 dedos a cada visita ao Prya, mas sempre acabei deixando crescer mais do que precisava pra ir cortar.

Até que eu completei meus 25 anos e fui pra Niterói no dia seguinte. Não aguentando mais o calor, nem o peso do meu cabelo (quem vê meu cabelo liso e fino não acredita na quantidade de cabelo da pessoa), nem andar o tempo inteiro com o cabelo preso (além do peso, tava percebendo que os fios tavam ficando com as pontas muito arrebentadas, e eu não tenho a menor paciência pra hidratação…), decidi ir lá no Prya e pedir pro Arthur cortar bastante o meu cabelo, deixando num comprimento long bob.

Deve ter uns dois anos que eu ensaiava esse corte mais curto, acima dos ombros. Mas a coragem só veio mesmo agora, depois de completar um quarto de século. Naquele dia, eu disse que estava em ritmo de mudança. E, aproveitando o final do ano, quis fazer o bem, sem saber pra quem!

O corte rendeu uma “sobra” de cabelo suficiente pra doar pro CABELEGRIA, instituição que recebe doações de cabelos para fazer perucas para meninas que estão tratando o câncer e, por isso, perderam os seus cabelos.

Eu estou amando o meu corte. Acho que não podia ter ~diminuído~ meu cabelo numa hora melhor. Minha auto-imagem melhorou muito depois que cortei, e não estou sentindo nenhuma falta da longa (e já muito repicada) cabeleira. Felipe também amou. E amei mais ainda poder enviar o que era meu cabelo pro CABELEGRIA, com a certeza de que vou ajudar.

Ah, e uma foto do corte novo só pra matar a curiosidade (e deixar registrado o jantarzinho japa delícia da semana passada com os melhores amigos do universo <3):

BTW, o Gabriel mal acreditou quando viu que eu tinha cortado o cabelo! Ele, que é meu bróder, meu amigo de fé, meu irmão camarada, já acompanhou muitos e muitos ataques de corto-não-corto! Era uma vez o apego! Pode vir, 2015!

Sonic Highways

Em meio a dias SUPER corridos, um lançamento que tá me fazendo ~pirar o cabeção~: Sonic Higways, o novo disco dos Foo Fighters!

Eles começaram liberando 3 faixas em 3 momentos diferentes nos últimos meses, e eu ficava mais ansiosa a cada nova música pra ouvir o disco inteiro. Something from Nothing me deixou viciada desde a primeira vez que ouvi, curti bastante The Feast and the Famine (me lembrou a fase de The Colour and the Shape), e amei Congregation como não amava uma música há algum tempo.

Aí segunda feira saiu o álbum novo e eu fiquei encantada com o que ouvi. E tô ouvindo. E tá no repeat. E tá no iPod, no computador, e em tudo o que tô fazendo. E Sonic Highways tá embalando a minha semana corrida, a minha semana atribulada, a minha semana que começou em Brasília, continua em Niterói, e terminará em Brasília.

Além de Something from Nothing e Congregation, ganharam 5 estrelas na minha biblioteca musical What Did I Do?/God as My WitnessIn the ClearSubterranean e I Am a River. Ou seja: de um álbum com 8 músicas, 6 foram direto pra minha lista de favoritas. Deu pra sentir o amor, né?!

Agora deixa eu correr aqui que essa quarta feira ainda tem que render muito – e, é claro, ao som de Sonic Highways!

das férias

Voltei de férias, minha gente. E que férias! Começamos com 9 dias em Orlando e seguimos pra Punta Cana, com direito a 5 dias em um resort all-inclusive maravilhoso!

E antes que alguém pergunte, mesmo que mentalmente, o que eu fui fazer em Orlando pela segunda vez nesse ano e pela décima quinta vez na vida, eu respondo: conhecer o Beco Diagonal, é claro!

IMG_0955

panorâmica do Beco Diagonal no parque Universal Studios

Convenci o Felipe de irmos pra Orlando e arrastei ele pra 3 (Magic Kingdom, EPCOT e Hollywood Studios) dos 4 parques da Disney, e dedicamos 3 dias pra curtirmos os dois parques da Universal (Universal Studios e Islands of Adventure). Mas como eu sou Disney Freak, e Disney Freak que se preza não deixa nenhum parque pra trás, fui pro Animal Kingdom com os nossos amigos que viajaram com a gente e também curti pra caramba, mesmo tendo ficado pouquinho por lá!

com os amigos no Animal Kingdom

com os amigos no Animal Kingdom

Curtimos tanto que Punta Cana foi ainda mais providencial do que pensávamos, porque ficamos mega cansados e os 5 dias de all-inclusive, sem nenhuma preocupação no paraíso, foram providenciais!

piscininha delícia em Punta Cana

piscininha delícia em Punta Cana do ladinho do meu amor <3

Comecei a escrever esse post desde que chegamos, e ainda não consegui terminar! É que tava escrevendo detalhadamente sobre o que fizemos cada dia, mas tá ficando enorme, e, até que eu conseguisse postar tudo, capaz de já tá na hora de voltar pra Orlando xD então eu deixo vocês por enquanto com esse post pequenininho que dá sinal de vida, prometendo contar mais das nossas férias em breve – principalmente sobre o Beco Diagonal!

de um lado pro outro mudando de lado

Nossa, fiquei muito tempo sem passar por aqui, sem contar o que anda acontecendo na minha vida. É que tudo tem sido tão corrido e tão louco ultimamente que, mesmo quando me dá vontade de escrever alguma coisa aqui, nunca dá tempo…

Do final da Copa pra cá, já voltei pra Niterói 3 vezes, o primeiro ciclo de aulas acabou no cursinho aqui em Brasília, e eu finalmente vou ter férias desde que terminei o mestrado \o/

Aqui em Brasília, logo depois que eu voltei de Niterói do dia dos pais, rolou casamento de um casal de amigos e uma ida ao Mané Garrincha pra ver meu Botafogo vencer:

IMG_0419

Também recebemos dois amigos aqui em casa e foi super divertido, e rendeu uma foto pra eternidade, daquelas que merecem porta-retrato e lugar de destaque onde quer que a gente vá morar:

IMG_0518

Meus pais também vieram pra Brasília logo no iniciozinho de setembro, e foi ótimo!

IMG_0713

Em seguida fui pra Niterói e passei 10 dias por lá, me dividindo entre consultas médicas e exames, mas também fui dois dias ao Plaza Fashion Trends, evento de moda que rolou lá no Plaza Shopping exatamente no período em que eu estava em Niterói! Coincidência demais.

#plazatrendsniteroi com os bloggers mais queridos de #nikitycity 🙈🔝😄 #capitaozeferino #plazashoppingniteroi #niteroigram

A photo posted by Letícia Tostes Ortega (@leticiatostes) on

#maischapéuporfavor com a Mrs. @capitaozeferino 👒 #hats #plazatrendsniteroi #plazashoppingniteroi #nikitycity

A photo posted by Letícia Tostes Ortega (@leticiatostes) on

E ainda rolou um Parador Bistrô com essas pessoas queridas:

Fotos zoadas de um jantarzinho delícia com essas pessoas queridas 😄 #capitaozeferino #paradorbistro #ifashion #nikitycity #fun

A photo posted by Letícia Tostes Ortega (@leticiatostes) on

Daí eu voltei pra Brasília, voltei pro meu aconchego, pro meu amor, e a gente tem dividido os nossos primeiros dias de férias entre idas ao cinema e muito tempo no sofá…

DCIM101GOPRO

infinito particular super bagunçado (x

E eu finalmente comprei um monopod pra usar a minha GoPro, que eu ganhei no meu aniversário de 24 anos e só tinha usado pra 49 fotos até a chegada do monopod milagroso! Agora fico querendo usar toda hora, mas Brasília resolveu não ser muito fotogênica desde que eu voltei de Niterói. Deve ter ficado com ciúmes! Hihihi

E férias que são férias de verdade tem que ter viagem pra curtir e descansar, e outubro veio pra isso, pra gente aproveitar um tempinho longe da correria, longe da “vida de concurseira”, longe das obrigações do trabalho…

A última coisa importante que eu tenho pra falar hoje é talvez a mais importante: estou tendo acompanhamento nutricional há um mês, e estou me empenhando (muito!) pra voltar a ter uma vida e um corpo saudável. Percebi que preciso ter uma alimentação mais saudável e me dedicar mais aos exercícios físicos antes que seja tarde demais. Os exercícios tem sido razoavelmente leves, por conta dessa história do tornozelo ruim, mas até exercícios leves e uma alimentação saudável fazem toda a diferença. Quando voltar das férias, quero escrever mais sobre esse acompanhamento nutricional por aqui mas, por enquanto, deixa eu aproveitar esse mês de outubro pra brincar e ser feliz (: